Como funciona um tratamento ambulatorial?

Tratamento ambulatorial

Públicado em: 3 de agosto de 2021

Última Atualização em: 3 de agosto de 2021

Um tratamento ambulatorial funciona de maneira multidisciplinar, onde o paciente tem a possibilidade de receber o acompanhamento de diversos profissionais, ao longo do dia.

Aqui, o paciente não precisa se afastar da sua família ou atividades corriqueiras, pois terá um dia propício para receber o tratamento que viabilize as melhorias em sua saúde física e mental.

  • O que é o tratamento ambulatorial?
  • O que é o tratamento ambulatorial para dependentes químicos?
  • Onde o dependente químico pode fazer o tratamento ambulatorial?
  • Qual é a diferença do tratamento ambulatorial para a internação?
  • Qual é a diferença entre tratamento ambulatorial e hospitalar?
  • Quando o tratamento ambulatorial é a melhor opção para o dependente químico?
  • Quais outras abordagens podem ser usadas junto ao tratamento ambulatorial?
  • Como lidar com as crises de abstinência no tratamento ambulatorial?
  • Qual é a importância do apoio dos amigos e familiares durante o tratamento ambulatorial do dependente químico?
  • O que é medida ambulatorial?
  • Em que casos é cabível a medida de segurança de tratamento ambulatorial?
  • Poderia o juiz converter a internação em tratamento ambulatorial?
  • Tratamento ambulatorial média de valores e plano de saúde

O que é o tratamento ambulatorial?

Trata-se de um método onde o dependente químico recebe o suporte que necessita sem ter que ficar internado. Ou seja, ele vai até o ambulatório para receber o acompanhamento e o suporte essencial à sua saúde, mas não tem a necessidade de pernoitar no local.

Assim, ele poderá voltar para casa no fim do dia, tranquilamente, e ficar junto de sua família. Desse modo, a rotina corriqueira se mantém, e o tratamento também é posto em prática, concomitantemente.

O que é o tratamento ambulatorial para dependentes químicos?

Esse tipo de tratamento é muito utilizado no lugar da internação do dependente químico. Isso porque ele não precisará ficar pernoitando na clínica, mas sim, deverá se dirigir até o ambulatório ao longo do dia.

Lá ele passará algumas horas recebendo o atendimento adequado às suas necessidades, podendo cuidar da sua saúde física e mental sem ter que ficar longe da família.

Onde o dependente químico pode fazer o tratamento ambulatorial?

O tratamento ambulatorial do dependente químico poderá ser feito em clínicas de reabilitação, que contam com toda a estrutura e equipe profissional para lidar com esse tipo de situação.

Assim, o paciente passa o dia na clínica, tendo o acompanhamento dos mais diversos profissionais que atuam em apoio uns aos outros. 

Da mesma maneira, o sujeito poderá buscar o seu tratamento ambulatorial diretamente no CAPS da sua cidade.

Qual é a diferença do tratamento ambulatorial para a internação?

A diferença está diretamente relacionada à rotina que se cria na vida do dependente químico. Veja e entenda:

  • Tratamento ambulatorial: O indivíduo passará o dia no ambulatório/clínica para poder receber todo o atendimento que diz respeito às suas necessidades específicas. Dessa maneira, ele pode cuidar da sua saúde física e mental sem ter que pernoitar no local.
  • Internação: No caso da internação, o sujeito não poderá voltar para casa à noite, e deverá dormir no local da internação. Nesse caso, o indivíduo acaba tendo um impacto maior em sua rotina, mas é importante ressaltar que essa mudança é imprescindível em alguns casos específicos.

Independente do tipo de tratamento, é fundamental seguir as recomendações dos profissionais da saúde, pois eles sempre estão buscando o melhor para os seus pacientes.

Qual é a diferença entre tratamento ambulatorial e hospitalar?

A diferença está envolvida com a possibilidade de internação ou não. No hospital o sujeito pode receber o tratamento e ser internado para que o médico possa acompanhá-lo por mais tempo. 

Já no tratamento ambulatorial, não acontece a internação e o indivíduo apenas passa o dia recebendo o tratamento no ambulatório.

Quando o tratamento ambulatorial é a melhor opção para o dependente químico?

Tudo dependerá do tipo de dependência química e do seu grau. Entretanto, aponta-se que o tratamento ambulatorial seja mais indicado para quem está no início da dependência química, quando ela ainda é leve e moderada. 

Já em casos mais severos, a internação pode ser uma alternativa mais condizente com a realidade do paciente. Sendo assim, pode ser uma oportunidade mais efetiva de recuperação física e mental daquele sujeito.

Quais outras abordagens podem ser usadas junto ao tratamento ambulatorial?

O tratamento ambulatorial tem por objetivo garantir que o sujeito ainda permaneça no seio familiar. Por isso, as abordagens do suporte da família, acompanhamento psicológico e médico, terapia individual e em grupo devem acontecer de maneira concomitante, nesse caso.

Como lidar com as crises de abstinência no tratamento ambulatorial?

O processo de abstinência deverá ser tratado o quanto antes, com o auxílio da equipe especializada e preparada para essa ação.

Aqui o sujeito receberá o suporte psicológico e medicamentoso, ao longo do dia de tratamento, mesmo que não fique internado na clínica de reabilitação. Outras atividades que aliviam a crise também poderão ser postas em prática por diversos profissionais da saúde.

No entanto, se a internação se fizer necessária, é preciso cogitar a possibilidade junto com os médicos. 

Qual é a importância do apoio dos amigos e familiares durante o tratamento ambulatorial do dependente químico?

Os amigos e familiares podem ser uma porta de entrada para maiores motivações e disposições. Por isso, o amor daqueles que estão convivendo com o dependente químico é tão importante. 

Afinal, ele poderá enxergar novas possibilidades para a sua própria vida, tendo em vista que se sentirá importante e amado. Isso é fundamental para não despertar o sentimento de inutilidade e invalidez.

O que é medida ambulatorial?

A medida ambulatorial diz respeito à necessidade de fazer o tratamento ambulatorial obrigatoriamente, mas sem a necessidade de ser internado. 

Aqui, o sujeito que cometeu semi-imputabilidade receberá tratamento especial, sob medida de segurança, que será imposta pelo juiz responsável pelo seu caso.

Em que casos é cabível a medida de segurança de tratamento ambulatorial?

Quando houver semi-imputabilidade, o condenado receberá tratamento especial, sob medida de segurança, onde o tratamento ambulatorial deverá acontecer sob custódia, de acordo com o  art. 98 do Código Penal: Art. 98.

Poderia o juiz converter a internação em tratamento ambulatorial?

Tudo depende do caso e da situação em questão. Apenas o juiz poderá avaliar a viabilidade de converter a internação em tratamento ambulatorial, uma vez que o que mais acontece é o inverso: há a conversão do tratamento ambulatorial em internação.

No caso de cessação de periculosidade (o paciente não está mais doente), o juiz terá total poder para ordenar a desinternação. 

Tratamento ambulatorial média de valores e plano de saúde

Os valores são bastante variáveis, de acordo com as necessidades de cada sujeito. Por isso, sugerimos que você solicite o orçamento para o seu caso, entrando em contato conosco. 

Estamos à disposição para encontrar a melhor opção de tratamento para você, alinhada às suas necessidades e ao seu bolso. Conte com a gente!

Conteúdo relacionado:

Transtorno de personalidade esquizoide: Sintomas, Causas e tratamento 

Quanto custa internar em uma clínica psiquiátrica?

Como se livrar da codependência?

Médico psiquiatra: o que esperar de uma primeira consulta

Surto psicótico tratamento emergencial

Emergências Psiquiátricas

10 dicas de como cuidar da saúde mental no trabalho

 

Dúvidas? Para saber mais, entre em contato conosco.
Acesse nosso site: www.interhelpinternacao.com.br 
FALE CONOSCO: 0800 500 9945

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.