Codependência: O que é, como se livrar e muito mais

como se livrar da codependência

Públicado em: 15 de julho de 2020

Última Atualização em: 27 de agosto de 2021

Procurando informações de como se livrar da codependência? Antes, é importante saber que a codependência é um problema emocional que foi descoberto entre os anos 70 e 80.

Naquela época, esse problema foi atribuído apenas aos dependentes químicos. No entanto, esse termo vale para qualquer tipo de dependência nos dias de hoje. Além disso, essa nomenclatura também vale para quem tem transtornos de personalidade.

Em geral, pessoas com codependência possuem forte ligação emocional com pessoas que têm dependências. Ou seja, os codependentes são muito apegados a pessoas que têm vícios e, por conta desse apego, causam enorme sofrimento para elas mesmas.

A codependência afeta tanto o dependente quando o codependente, pois ela prolonga os problemas da pessoa viciada. Vale lembrar que a codependência está ligada a qualquer tipo de vício, seja ele físico, químico ou psicológico.

+Leia também: Transtorno de personalidade esquizoide 

Quais os sintomas da codependência? Codependência causas

Na realidade, não existem causas específicas e únicas para a codependência. Primeiro porque cada caso é um caso, segundo porque a situação é multifatorial. 

Entretanto, o medo de perder a pessoa querida é uma forte mola propulsora para o problema. E isso pode aparecer em diversas circunstâncias da vida.

Codependência sintomas

  • Sensação de esgotamento emocional;
  • Baixa autoestima;
  • Falta de autocuidado;
  • Foco apenas no outro;
  • Sentimento de incapacidade;
  • Dificuldade para se “separar” do outro;
  • Medo de ser abandonado;
  • Necessidade de controlar tudo o que o outro faz;
  • Costume de pôr o outro sempre em primeiro lugar;
  • Entre outros sintomas singulares.

Qual o tratamento para codependência?

O tratamento mais efetivo para a codependência é a psicoterapia. Isso porque é no processo terapêutico que o sujeito consegue resgatar o seu equilíbrio emocional, além de restabelecer a autoestima e o foco de sua vida. Em outras palavras, retoma o foco para si, tirando a atenção total que estava sendo depositada no outro.

Quem pode ser codependente?

A codependência pode acometer qualquer pessoa que esteja emocionalmente abalada de algum modo e se “prenda” na vida do outro. 

Mas, em especial, pessoas que têm um familiar ou amigo querido que seja dependente químico, tecnológico ou viciado em jogos, por exemplo. Isto é, quem tem algum conhecido dependente de algo pode se sentir codependente, como se fosse responsável pelo bem-estar e recuperação do dependente.

Como tratar a codependência emocional?

O tratamento para codependência emocional acontece a partir do acompanhamento psicoterapêutico. Aqui, o psicólogo, junto do codependente, poderá traçar caminhos mais promissores para a recuperação da liberdade, da autoestima e do amor-próprio. 

Além disso, o sujeito codependente pode voltar a ter a sua vida como centro de seus propósitos, deixando a vida alheia “de lado”, embora a ajuda e o auxílio ainda possam ser oferecidos ao parente ou amigo querido.

Qual o teste para codependência emocional?

Os testes disponibilizados na internet podem ser perigosos, pois podem levar ao autodiagnóstico. Por isso, o melhor a se fazer é procurar um psicólogo qualificado na hora de saber se está sofrendo de codependência emocional. 

Não se resuma a um teste de internet!

Quais livros sobre codependência?

Existem diversos livros que tratam sobre o tema, como por exemplo “Codependência Nunca Mais“, “Amar ou Depender” e “Codependência: o transtorno e a intervenção em rede“.

Quais são os principais tipos de codependência?

Podemos citar alguns tipos de codependência, como:

  • Codependência afetiva: Medo exagerado de perder a pessoa amada, a ponto de se tornar obcecado por ela.
  • Codependência familiar: Sentimento de responsabilidade pelo outro, e pode estar relacionado à codependência química e afetiva.
  • Codependência tecnológica: Assim como acontece nos outros casos, o sujeito pode se sentir responsável pela dependência do outro, deixando a sua vida de lado para tentar solucionar a patologia alheia.
  • Codependência química: O codependente pode deixar a vida de lado para tentar solucionar o problema de dependência química do outro.

Qual é a diferença entre codependência e dependência?

A codependência refere-se às pessoas fortemente ligadas emocionalmente a um outro que possui comportamentos destrutivos. Já a dependência é uma extrema necessidade de ter o outro por perto, de uma maneira patológica, insegura e sofrida.

Como se livrar da codependência?

Para superar a codependência, o primeiro passo é admitir o problema. Muitos pacientes têm dificuldade para fazer isso, pois esse problema vai crescendo aos poucos e dificilmente é notado. Portanto, fique atento, pois se a sua preocupação com o outro se transformou em dependência emocional, procure tratamento.

Tratamentos

Ao reconhecer que precisa de ajuda, o codependente deve ir até profissionais especializados nesse tipo de problema. Lembre-se que esse problema é bem complexo, o que torna sua resolução um tanto complicada. Contudo, o codependente não precisa passar por isso sozinho.

O auxílio de um psicoterapeuta pode ser muito importante para o paciente, pois ele é o profissional mais indicado para esse tipo de problema. Aliás, se houver um caso de dependência química na família, talvez todos os integrantes precisem de ajuda. Nesses casos, é importante procurar grupos de apoio que trabalhem com esse tipo de situação.

+Leia também: Como saber se uma clínica de recuperação é confiável

Como se livrar da codependência

Quais são os motivos da codependencia?

A codependência surge quando uma pessoa acredita que a própria felicidade depende do viciado que ela pretende ajudar. Isso lhe torna muito dependente daquela pessoa e faz com que ela aceite vários abusos. Em outras palavras, o codependente se torna extremamente tolerante e permissivo, pois ele valoriza mais a outra pessoa do que a ele mesmo.

As relações de codependência são muito comuns entre pais e filhos e também nos casais. No caso dos pais e filhos, o conceito de família faz com que haja uma preocupação exagerada entre eles. Com relação aos casamentos, existe um senso de dever que diz que o casal deve compartilhar as suas dores.

É bom deixar claro que se preocupar com seus pais, filhos e cônjuges é uma atitude correta. O problema é quando isso se torna uma obsessão e a pessoa desvaloriza a si mesma. Independentemente de parentesco, o outro nunca deve ser o centro da sua vida.

+Leia também: 10 Dicas de como ajudar um dependente químico

Você em primeiro lugar

Obviamente, você não deve deixar de ajudar os outros, pois cooperação é importante em uma sociedade saudável. Contudo, você não deve ver os outros como prioridade fundamental.

Você tem suas próprias preocupações, problemas, dificuldades, alegrias, sonhos entre outras coisas. Em outras palavras, não deixe de lutar por você mesmo. Não adianta nada você lutar por outra pessoa se isso está destruindo a sua própria vida.

Em muitos momentos, os problemas da vida nos afetam tanto que nos esquecemos de nossas próprias necessidades. Contudo, devemos lembrar que existem coisas que não dependem da gente. Por mais que você se esforce, o viciado só vai superar a própria dependência se ele mesmo quiser. Não se culpe pelo fracasso de outra pessoa.

+Leia também: Grupo de apoio a familiares de dependentes químicos

Dúvidas? Para saber mais, entre em contato conosco.
Acesse nosso site: www.interhelpinternacao.com.br 
FALE CONOSCO: 0800 500 9945

Avalie nosso post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *