Médico psiquiatra: o que esperar de uma primeira consulta

Consulta com um psiquiatra

Públicado em: 31 de julho de 2020

Última Atualização em: 7 de agosto de 2020

Consulta com psiquiatra? Dúvidas sobre o que dizer ao psiquiatra na consulta? Nosso artigo é para você. Quando uma pessoa está em depressão, o mais indicado é procurar ajuda psicológica. Nesse caso, o profissional indicado seria o psiquiatra.

No entanto, ainda existe um grande tabu relacionado a estes profissionais, pois muitas pessoas acham que procurá-los é “assumir a própria loucura”.

É preciso entender melhor o trabalho desse tipo de médico, pois ele é importante para a saúde mental de muitas pessoas. Normalmente, eles são as pessoas mais indicadas para fazer um diagnóstico sobre a depressão. Por conta disso, é importante entender o que esperar de uma primeira consulta com o psiquiatra.

Primeira consulta com um psiquiatra

Segundo o psiquiatra Kalil Duailibi, mestre em Medicina Psiquiátrica pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), a primeira consulta normalmente é clinica. Isso quer dizer que os psiquiatras agem como qualquer outro médico.

Eles perguntam sobre o histórico de vida das pessoas, pois querem saber se há casos de depressão em algum familiar. Além disso, os psiquiatras também questionam se os pacientes passaram por algum trauma durante a vida.

Outra coisa que o psiquiatra faz é pedir alguns exames. Nesse caso, ele quer saber se a depressão está relacionada com algum problema físico. Em geral, os exames mais pedidos são de sangue, ultrassom e ressonância cerebral.

Para quem tinha dúvidas sobre o que dizer ao psiquiatra em sua primeira consulta as informações acima respondem a questão. Fale sobre o histórico de sua vida e conte se passou por algum trauma em qualquer fase de sua vida. Além disso, informe ao psiquiatra se você possui algum problema físico, pois isso também pode gerar um quadro de depressão.

Quando devo ir ao psiquiatra?

Um dos motivos que mais levam alguém a consultar um psiquiatra é a depressão. No entanto, esse profissional não tem que ser a sua primeira escolha. Em muitos casos, pacientes com esse problema preferem conversar com o psicólogo da família ou até mesmo com médicos de outras especialidades.

Isso acontece porque a depressão pode se manifestar por meio de problemas físicos, como falta de ar e dores no peito. Nessas situações, procurar um psiquiatra é raro, pois, normalmente, o paciente vai até alguém que trate esses sintomas. Se os problemas físicos não forem muito graves, aí sim aquele médico se preocupará com a depressão do paciente.

Normalmente, quando o quadro da depressão é leve, os pacientes tratam apenas seus sintomas físicos. No entanto, fingir que essa doença não existe pode agravar os seus sintomas. Caso a depressão se agrave, procurar um especialista é a melhor alternativa. O psiquiatra é o profissional mais capacitado para diagnosticar se a pessoa está com depressão ou não.

Numa entrevista ao site Medley.com, o Dr. Duailibi explicou que existem mais de 50 doenças que podem causar a depressão. É importante saber qual é a origem do quadro depressivo, pois, dessa forma, se torna mais fácil indicar um tratamento.

Segue entrevista: www.medley.com.br/podecontar/preciso-ajuda/primeira-consulta

Mantenha-se firme

O paciente não deve abandonar o tratamento, pois isso pode prejudicá-lo. Segundo o Dr. Duailibi, é comum as pessoas pararem de se tratar quando os remédios começam a fazer efeito. Infelizmente, isso aumenta as chances de retorno do quadro depressivo.

O profissional ainda explica que o tratamento é gradativo, pois, mesmo com remédios, os efeitos não são imediatos. De acordo com Duailibi, é necessário controlar as expectativas, pois, a medicação só começará a trazer melhoras entre três e quinze dias após a primeira dose.

+Leia também: Quanto custa internar em uma clínica psiquiátrica?

Em casos de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br

Acesse nosso site: www.interhelpinternacao.com.br 
FALE CONOSCO: 0800 500 9945

Avalie nosso post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *