Tratamento para dependência química: Como funciona?

Tratamento para dependência química

Públicado em: 21 de julho de 2020

Última Atualização em: 21 de julho de 2020

Procurando informações sobre o tratamento para dependência química? A dependência química é um dos grandes problemas do mundo ocidental. Por uma série de razões, várias pessoas entram nesse vício e não conseguem sair. Leia os próximos parágrafos e saiba o que é a dependência química e qual é o melhor tratamento para esse problema.

Tratamento para dependência química

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a dependência química é uma doença mental com fatores crônicos. Como essa doença é progressiva, seus sintomas podem se agravar e provocar outras doenças.

O sintoma mais óbvio da dependência química é a obsessão pelo uso de drogas. Além disso, também existem as crises de abstinência, falta de controle sobre seus próprios comportamentos, aumento da quantidade de drogas consumidas, irritabilidade, entre outras coisas. O tratamento para dependência química é de suma importância para combater as drogas de forma eficaz

Quais são os tipos de tratamento e dependência química?

A dependência de substâncias é uma condição progressiva e recorrente, caracterizada pelo abuso compulsivo de drogas ou álcool sempre trazendo consequências negativas. Os tipos de tratamentos pode ser listados como:

  • Tratamento hospitalar e residencial
  • Tratamento ambulatorial

Tratamento hospitalar e residencial – São realizados após a desintoxicação. Se tratando de terapia o paciente realizará diversas sessões de terapia de forma constante, sendo cuidado por profissionais 24 horas por dia 7 das por semana

Tratamento ambulatorial – O tratamento ambulatorial permite que o paciente realize o tratamento sem a necessidade de sua presença no local.  A diferença entre esse tipo de tratamento é o número de horas que o paciente disponibiliza para a terapia semanal.  Os tipos de tratamento ambulatorial são parciais, intensivos e tradicionais.

+Leia também: Como funcionam os centros de recuperação para dependentes químicos

O vício prejudica significativamente a capacidade do usuário de controlar ou interromper o uso de substâncias . Logo abaixo alguns tipos de tratamento e dependência química mais comuns:

  • Tratamento para dependência do crack
  • Tratamento para dependência da cocaína
  • Tratamento para dependência da maconha
  • Tratamento para dependência da heroína
  • Tratamento para dependência do tabagismo
  • Tratamento para dependência metanfetamina
  • Tratamento para dependência do êxtase
  • Tratamento para dependência do LSD
  • Tratamento para dependência alcoólica

Tratamento para dependência do crack: Essa substância leva seus usuários a casos extremos de dependência. Isso acontece porque seu efeito é muito mais rápido que o das outras drogas. O crack afeta o cérebro (funções cognitivas) e o organismo do ser humano, além disso, ele também gera doenças no pulmão e no coração.

Por conta dos problemas citados acima, o usuário de crack tem sérios problemas para raciocinar, pois sua flexibilidade mental é extremamente debilitada. Se essa doença não for tratada rapidamente, o usuário morrerá, pois o efeito destruidor do crack é muito rápido.

Tratamento para dependência alcoólica: Esse quadro de dependência acontece quando uma pessoa consome bebidas alcoólicas compulsivamente. Vários fatores podem levar uma pessoa ao alcoolismo, desde traumas de infância até problemas financeiros.

A partir do momento em que a falta do álcool se transforma em crise de abstinência, a pessoa já pode se considerar alcoólatra. Sempre uma pessoa atinge esse estágio, ela começa a ter uma série de problemas, que vão desde crises de ansiedade até problemas sexuais.

Tratar o alcoolismo é importante, pois essa doença pode ter consequências fatais. O tratamento para dependência alcoólica pode ser realizado em uma clínica de reabilitação para alcoólatras.

+Leia também: Clínica de reabilitação para alcoólatras

Tratamento para dependência da cocaína: Essa é uma das drogas mais consumidas pelos dependentes químicos. Isso acontece porque essa substância gera uma sensação de euforia e causa muitos “estímulos” em seus usuários.

Como a cocaína ativa a dopamina do cérebro, ela deixa seus usuários momentaneamente alegres. No entanto, como seus efeitos são muitos intensos, ela deixa os usuários paranoicos, agressivos e com os batimentos cardíacos muito acelerados.

Esses efeitos podem surgir todos de uma vez ou se alternar entre cada uso. Por exemplo, existem pessoas que se tornam extremamente violentas após o consumo de cocaína, enquanto outras se tornam melancólicas e tristes. Assim como as outras dependências, o vício em cocaína também pode matar.

Tratamento para dependência da maconha: As opções de tratamento para dependência de maconha são semelhantes aos programas e protocolos de tratamento para dependência de álcool e outras drogas.

Terapias baseadas em evidências como facilitação dos Doze Passos, terapia cognitivo-comportamental, terapia de aprimoramento motivacional e outras abordagens cientificamente válidas podem ser opções eficazes de tratamento de dependência, dependendo da situação do indivíduo, abuso de outras drogas e necessidades de tratamento.

+Leia também: Como funciona o tratamento e reabilitação da maconha?

Tratamento para dependência da heroína: Os sintomas físicos do vício e da retirada de heroína podem ser as peças mais desafiadoras para alcançar a sobriedade. É por isso que a primeira fase do tratamento da dependência para a maioria dos programas geralmente inclui desintoxicação.

A desintoxicação geralmente é um período de 5 a 7 dias, no qual você é supervisionado por médicos ou equipe médica para garantir que sua saúde e segurança sejam preservadas.

Em suma, se você ou seu ente querido está lutando com o vício em heroína, o tratamento é a melhor opção para gerenciar os sintomas de abstinência.

Tratamento para dependência do tabagismo: O tratamento para dependência do tabagismo pode ser realizados através da inserção de adesivos, goma, sprays, pastilhas e inaladores.  Seu médico ou farmacêutico pode ajudá-lo a selecionar o melhor produto para você.

Tratamento para dependência do êxtase: O tratamento fornece um sistema de apoio inicial para quem está em tratamento e ensina maneiras mais saudáveis ​​de lidar com o vício.

É importante que ofereça um atendimento contínuo que abrange os principais tipos de tratamento, desde a desintoxicação para aqueles que lutam inicialmente até opções de cuidados posteriores, como vida sóbria, sessões de aconselhamento e grupos de apoio para aqueles que mantêm sua recuperação.

Tratamento para dependência do LSD: O tratamento para o LSD é especializado para atender às necessidades de cada pessoa é preciso criar um plano exclusivo, fornecer um ambiente favorável para a recuperação do pacientes, sendo possível ele aprender novas habilidades para lidar com seu vício. Não receber tratamento adequado para LSD, o dependente estará continuamente sujeito aos perigos do seja ele físico e psicológico.

+Leia também: Efeitos do LSD

Como saber qual é o melhor tratamento para dependentes químicos?

Não existe uma formula mágica para lidar com dependentes químicos. Portanto, deve-se analisar cada caso de forma única para avaliar a melhor solução.

A primeira coisa que se deve fazer é procurar ajuda médica. Esse profissional receitará alguns medicamentos para ajudar no período de recuperação ou reabilitação.

Contudo, existem casos em que o procedimento mais correto é a internação, pois o paciente já está oferecendo risco para ele mesmo e para outras pessoas.

A terceira alternativa é usar grupos de apoio para complementar a reabilitação, pois conversar com pessoas que passam pela mesma coisa pode ajudar aquele dependente químico.

+Leia também: Como saber se uma clínica de recuperação é confiável?

Tipos de Internação em um tratamento para dependência química

Os tipos de internação em um tratamento para dependência química são divididos como internação voluntária, internação involuntária e internação compulsória.

Internação voluntária: Acontece quando o próprio paciente solicita a internação. Nesses casos, a pessoa precisa assinar um termo afirmando que ela mesma pediu o tratamento;

Internação involuntária: É quando outra pessoa pede a internação de alguém. Em muitos desses casos, o paciente é internado contra a vontade dele. Quando ocorre uma internação involuntária, a clínica tem que avisar ao Ministério Público em até 72 horas;

Internação compulsória: É quando a justiça decide que a pessoa deve ser internada. Atualmente, essa internação é muita rara de acontecer.

Como funciona a participação em grupos de apoio no tratamento de dependentes químicos?

Esses grupos possuem grande importância na luta contra a dependência química. Entre os mais famosos, estão os Alcoólatras Anônimos (AA) e os Narcóticos Anônimos (NA).

Grupos de apoio são importantes, pois permitem que o dependente químico esteja em contato com pessoas que têm problemas semelhantes aos dele.

Com isso, surge uma troca de experiências e o dependente aprende a lidar melhor com as situações que ele enfrenta. Em geral, grupos de apoio não são utilizados como forma única de tratamento. Contudo, são ótimas ferramentas para complementar a reabilitação.

+Leia também: Como funciona um grupo de apoio para familiares de dependentes químicos?

Procurando tratamento de dependência química perto de você?

Podemos ajudar você no tratamento para dependência química ideal. basta entrar em contato conosco  e sanar qualquer dúvida. Podemos redirecionar para as melhores clínicas para dependentes químicos no Brasil. Ressalva que possuímos um escopo clínico de médicos qualificados, tais como:

Fernando Carlos Fassina – CRM / 87930
Janaina Marques Barbosa CRP: 06/ 117003
Andrea Aparecida Berti: Crp 06/57609
Lucas Forti Franzzini CRP: 06/137418

Acesse nosso site: www.interhelpinternacao.com.br 
FALE CONOSCO: 0800 500 9945

Referências:

Passie, T., Halpern, JH, Stichtenoth, DO, Emrich, HM e Hintzen, A. (2008). A farmacologia da dietilamida do ácido lisérgico: uma revisão. CNS neurocience & therapeutics , 14 (4), 295-314. (https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6494066/)

Zorick T, Nestor L, Miotto K, et al. (2010). Sintomas de abstinência em indivíduos dependentes de metanfetamina abstinentes . Vício . 105 (10): 1809-1818.

CRAUSS, Renata Maria G. C.; ABAID, Josiane L. W. A dependência química e o tratamento de desintoxicação hospitalar na fala dos usuários. Contextos Clínicos, vol. 5, n. 1, janeiro-junho 2012. Vol 05. 1 Ed; 62-72, 2012

Miller, SC, Fiellin, DA, Rosenthal, RN, & Saitz, R. (2019). Os Princípios ASAM de Medicina de Dependência, Sexta Edição. Filadélfia: Wolters Kluwer.

Hermle, L., Simon, M., Ruchsow, M., & Geppert, M. (2012). Transtorno da percepção persistente por alucinógenos . Avanços terapêuticos em psicofarmacologia, 2 (5), 199–205.

PEREIRA, Anna Paola B. Estratégias para Abordagem da dependência química em área de abrangência da estratégia de saúde da família. Universidade Federal de Minas Gerais.Tese de especialização, 2014.

GOVERNO DE SÃO PAULO. Entenda o que é a internação compulsória para dependentes químicos

Demais publicações:

5/5 - (1 vote)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *