eeeeeeeeeeee ffffffffff
5 Dicas de Como Internar um Dependente Químico

5 Dicas de Como Internar um Dependente Químico

Você gostaria de ajudar um amigo viciado a sair do túnel de drogas e não sabe como? Muitas vezes, o grave erro é feito de não atribuir ao adicto qualquer consideração como ser humano e de destacar apenas sua condição, como sugere o título deste artigo.

Na realidade, para desenvolver um plano de intervenção eficaz e evitar que o seu amigo se torne presa de uma espiral descendente sem descontinuidades, você deve ter uma compreensão básica da armadilha da dependência química e acima de tudo, entender que a recuperação de um adicto passa por uma armadilha. trabalho interno e pessoal muito longo e difícil.

Como Internar um Dependente Químico?

Basicamente, existem três tipos de internações, que por vez, possuem o mesmo objetivo mas atendem situações bem diferentes, tais como:

Em muitos casos, aqueles que se perguntam como ajudar um dependente químico, são familiares ou amigos que querem entender o que fazer para salvar a vida de um ente querido, seja ele uma criança, uma filha, um irmão, um marido ou uma esposa. Logo abaixo, segue 5 Dicas de Como Internar um Dependente Químico

1 – Demonstre seu próprio suporte

Algumas amizades não duram muito, outras são eternas. Ajudar um amigo que enfrenta um problema crítico, como o vício em drogas, pode ajudar a fortalecer seu vínculo.

  • Não o abandone em momentos de necessidade e ouça-o. Ele pode ter caído no abismo das drogas por muitas razões, por isso, se você escutá-lo, ele lhe dará a oportunidade de expressar seus pensamentos e emoções e voltar para a causa raiz de seu vício. 
  • Comporte-se de maneira respeitosa, justa e confiável. Externalizar os sentimentos é um ato de coragem que também pode envolver riscos. Você deve reconhecer sua força, dizendo: “Eu entendo que é difícil para você e eu estou honrado que você está pronto para compartilhar suas emoções comigo. Por isso eu te respeito e estou perto de você “.
  • Ajudar um adicto é provavelmente o gesto mais difícil e mais desafiador que pode ser feito, mas é também o mais recompensador.

2 – Mostre-se empático

Sentir-se ouvido e compreendido é essencial para o crescimento pessoal. Ter que lidar com o vício em drogas requer um caminho de crescimento emocionalmente doloroso, mas você pode aliviar o sofrimento do seu amigo ouvindo atentamente.

  • Coloque-se no lugar dele. Aprenda a ser tolerante e não julgar. Pode ser difícil de entender, mas você sempre pode tentar.
  • Trate do jeito que você gostaria de ser tratado. Você provavelmente teve que enfrentar problemas em sua vida, então você sabe muito bem o que o ajudou a superá-los e seguir em frente.

3 – Mostre-lhes seu interesse

É difícil ajudar alguém que sofre ou toma decisões erradas que possam afetar negativamente sua vida. Mais cedo ou mais tarde, você terá que lhe dizer que se importa com o bem-estar dele, mesmo que ele não pareça disposto a ouvir o seu conselho.
  • Peça permissão para entrar em sua vida. Quando alguém passa pelo problema do vício em drogas, às vezes ele não consegue entender que precisa de ajuda, mas está disposto a aceitá-lo. Você poderia dizer algo como: “Parece-me que você está abusando de drogas. Se você quiser, estou pronto para ajudá-lo. Você concorda?
  • Não tenha medo de fazer perguntas diretas. Lidar com questões difíceis que possam comprometer sua amizade não é fácil. No entanto, você terá que fazer perguntas diretas e honestas, como “Você acha que é viciado nessa substância?” Ou “Eu entendo que não é fácil falar sobre isso, mas eu tenho que entender se você decidiu arruinar sua saúde e sua vida”.

4 – Identifique a substância ou substâncias utilizadas

Às vezes, os toxicodependentes abusam de muitos medicamentos, mas se os tomam secretamente, pode ser mais fácil ver os sinais e sintomas, em vez de encontrar os medicamentos que usam. Em caso de dúvida, você pode sempre perguntar a ele. As drogas incluem (mas não estão limitadas a) anfetaminas, esteroides anabolizantes, drogas “recreativas”, cocaína, heroína, inalantes, maconha e drogas. 

  • Seus efeitos podem variar dependendo da pessoa que os toma.
  • O sujeito pode ter tomado diferentes drogas, por isso é difícil reconhecê-los.
  • No caso de uma sobredosagem ou uma emergência, poderá encontrar-se na posição de ter de comunicar ao pessoal médico o tipo de drogas ou medicamentos utilizados, para garantir um tratamento adequado.

5 – Organize uma reunião

Às vezes, embora difícil, é necessário tomar medidas drásticas, especialmente se a dependência de substâncias de abuso tomou conta da vida de uma pessoa.

Embora uma reunião possa parecer uma experiência negativa, seu propósito não é colocar o viciado na defensiva, então você deve escolher cuidadosamente os participantes. Os membros da família podem descrever como o abuso de drogas está tendo um impacto negativo em suas vidas.

  • Antes da reunião, desenvolva pelo menos um caminho de recuperação para propor ao seu amigo. Planeje com antecedência se seu amigo será levado ao centro de recuperação diretamente do local de reunião. Isso não teria efeito se no final não houvesse ajuda concreta e se ele não recebesse o apoio de seus entes queridos.
  • Você provavelmente terá que criar uma manobra para levar seu amigo ao local onde a reunião será realizada.
  • Prepare-se para explicar-lhe as consequências que ele enfrentaria se recusasse tratamento adequado. Essas conseqüências não devem ser ameaças verbais desnecessárias, portanto, os membros da família devem estar dispostos a intervir com medidas resolutivas em caso de necessidade.
  • Seus colegas e alguns membros da comunidade religiosa (se necessário) também poderiam participar da reunião.
  • Os participantes devem citar exemplos específicos de como o abuso de drogas do seu ente querido está ameaçando a solidez do seu relacionamento. Muitas vezes, aqueles que organizam uma reunião escolhem escrever cartas dirigidas à pessoa em questão. Um adicto não pode dar importância a seus comportamentos autodestrutivos, mas pode ser motivado a pedir ajuda para descobrir que suas ações causam sofrimento a seus entes queridos.

Quando devo recorrer à internação?

O objetivo geral é levar o dependente químico a um ponto em que ele perceba que existe um problema e esteja disposto a procurar ajuda. Quando isso for alcançado, esteja pronto para enviá-los para um centro de reabilitação sem demora.

Todo mundo sabe que um dependente químico precisa de ajuda, mas muitas vezes ele não consegue enxergar. Quais ações são tomadas para ajudá-lo podem ser uma questão de vida ou morte.

O próprio fato de você estar procurando respostas é o primeiro passo na direção certa. Nosso objetivo é fornecer o máximo de informações possível para que possamos obter a ajuda de que precisam.

Considerações Finais

Tentar ajudar um dependente químico, no entanto, pode acontecer de enfrentar grandes dificuldades, porque ele nem sempre está disposto a abordar o assunto, tanto que ele também pode negar o uso de drogas ou ele pode tentar fazer tudo para diminuir a gravidade da condição.

Na tentativa de superar essa reticência em aceitar qualquer forma de ajuda, a família e os amigos tentam assumir atitudes diferentes: às vezes, mais compreensão, na esperança de convencer a pessoa amada a se abrir com eles e outras vezes mais determinados, a fim de despertar uma reação de algum tipo.

Infelizmente, no entanto, ambas as estradas nem sempre levam ao resultado desejado, porque a pessoa, sentindo-se pressionada, pode chegar a fechar-se completamente, tornando ainda mais difícil falar com ela.

Portanto, se a intervenção da família ou dos amigos não for suficiente, a melhor ação é entrar em contato com especialistas que sabem o que fazer para mudar essa situação.

E-mail: contato@interhelpinternacao.com.br
Plantão 24h a disposição para serviços ou dúvidas
Celular: 11 97462-6653 (WHATSAPP)

Acesse nosso site: www.interhelpinternacao.com.br 

Fechar Menu