Transtorno Esquizoafetivo: Sintomas, causas e tratamentos

Transtorno Esquizoafetivo

Públicado em: 7 de julho de 2022

Última Atualização em: 7 de julho de 2022

transtorno esquizoafetivo pode ser compreendido como um quadro relativamente complexo. Isso porque há uma mistura de sintomas psicóticos com alterações de humor encontradas na bipolaridade, por exemplo.

Exige tratamento especializado para que o sujeito venha a ter mais saúde e qualidade de vida.

Neste texto, elencamos uma série de informações importantes sobre esse quadro. Continue lendo para saber mais e lembre-se de compartilhar este conteúdo para que possamos conscientizar mais pessoas sobre os importantes cuidados com a saúde mental.

O que é o transtorno esquizoafetivo?

O transtorno esquizoafetivo é caracterizado pela coexistência de sintomas de esquizofrenia e sintomas de alterações de humor. É o caso de pacientes que têm os sintomas psicóticos da esquizofrenia somados às alterações de humor provocadas pela bipolaridade, por exemplo. Assim sendo, para que o diagnóstico seja feito com precisão, o indivíduo precisa apresentar sintomas psicóticos (como alucinação, delírio, descolamento da realidade) e sintomas de humor (depressão e/ou mania).

Quais os sintomas do transtorno esquizoafetivo?

  • Dois ou mais dos itens abaixo manifestando-se por, pelo menos, um mês. Além disso, ao menos um deles deve ser o item 1, 2 ou 3:
    1. Delírios;
    2. Alucinações;
    3. Discurso desorganizado;
    4. Comportamento grosseiramente desorganizado ou catatônico;
    5. Sintomas negativos.
  • Delírios ou alucinações pode duas semanas ou mais na ausência do episódio de depressão maior ou mania.
  • Episódios de depressão ou mania.
  • Funcionamento profissional pode ficar prejudicado.
  • Dificuldades com o autocuidado.
  • Isolamento social.
  • Confusão mental.
  • Descolamento da realidade.

Causas do transtorno esquizoafetivo

As causas ainda são desconhecidas. Isso significa que não existe apenas um motivo pelo qual o indivíduo possa vir a desenvolver esse quadro importante. Porém, estudos e profissionais apontam que situações de vulnerabilidade e estresse podem ter alguma importância no desenvolvimento do transtorno.

Além disso, indivíduos com parentes de primeiro grau com o mesmo diagnóstico também podem ter a propensão de desenvolver o quadro. Fatores fisiológicos e indivíduos que têm parentes de primeiro grau com esquizofrenia transtorno bipolar também podem desencadear o quadro, sendo esses fatores compreendidos como potenciais causas.

Como é uma pessoa com transtorno esquizoafetivo?

Em momentos de crise, uma pessoa com o transtorno pode apresentar comportamentos de perda de contato com a realidade. Aqui, ela pode misturar suas alucinações e seus delírios com o que acontece à sua volta, crendo que tudo é real. Fora do surto psicótico, pode apresentar humor deprimido ou mania, dependendo do episódio em que estiver vivendo.

Porém, vale ressaltar que com o tratamento adequado o indivíduo pode trabalhar e ter uma vida com mais qualidade. Por isso, a busca por ajuda profissional é tão importante e pode fazer toda a diferença na vida do sujeito.

Qual a diferença entre esquizofrenia e transtorno esquizoafetivo?

Na esquizofrenia, encontramos os sintomas psicóticos como delírio e alucinação sem que alterações de humor aconteçam. No transtorno esquizoafetivo, o indivíduo pode apresentar sintomas de depressão e de quadros de obsessão/mania, ou seja, pode apresentar sintomas que expressam uma intensa alteração de humor.

Como lidar com uma pessoa com transtorno esquizoafetivo?

Em episódios de crise, pode parecer difícil lidar com uma pessoa que tenha esse diagnóstico, especialmente quando não há o tratamento ideal. No entanto, familiares e amigos têm um papel importante na vida desse sujeito. São essas pessoas do círculo social que poderão oferecer suporte, apoio e acolhimento no dia a dia. Esse tipo de postura é fundamental para que a pessoa tenha mais qualidade de vida e chances de criar um vínculo saudável com quem está à sua volta.

Além disso, o ideal é que as pessoas que estão perto do indivíduo com diagnóstico o instiguem a procurar ajuda especializada. Conscientizá-lo sobre a necessidade de buscar uma clínica psiquiátrica, por exemplo, é de suma importância para que ele receba o tratamento ideal e alinhado às necessidades dele.

Quem tem transtorno esquizoafetivo pode trabalhar?

Pode sim, desde que este receba o tratamento alinhado às suas necessidades. Isso porque é por meio do tratamento que uma série de sintomas poderão ser atenuados, aumentando o autocontrole do sujeito e permitindo que ele tenha muito mais qualidade de vida nesse sentido. Por isso, buscar ajuda especializada é um passo indispensável para oferecer uma atmosfera mais segura para o sujeito.

Se precisar de ajuda para encontrar a clínica ideal para o caso do seu conhecido, entre em contato com a gente! Estamos à disposição para auxiliar nessa busca importante e imprescindível.

Quem tem transtorno esquizoafetivo pode ser internado?

Como há relação com alterações de humor, especialmente envolvidos com depressão, um indivíduo com esse transtorno, em algumas circunstâncias, pode ter comportamentos suicidas. Nesse caso, a internação em uma clínica psiquiátrica se faz necessária para garantir a integridade e a vida do sujeito.

Além disso, casos de surto psicótico no qual a pessoa coloca a si ou terceiros em risco, a internação também pode ser importante, focando em atenuar os sintomas e restabelecer o equilíbrio mental do sujeito.

Afinal, se uma pessoa crê que pode voar, ela pode se jogar de um prédio, colocando sua vida em risco. Da mesma forma, se ela se sente Deus, poderá intervir na saúde e na vida alheia crendo que vai ajudar, mas colocando o outro em risco. Por isso, a internação pode sim ser necessária. Mas cada caso será um caso e cabe ao profissional psiquiatra avaliar o quadro do paciente, oferecendo a ele o suporte mais alinhado às suas necessidades.

Qual o tratamento nesse caso?

Além da internação (que contempla uma série de tratamentos interdisciplinares) em casos específicos, o tratamento medicamentoso e psicoterapêutico se fazem necessário. Assim, caberá ao psicólogo e psiquiatra buscarem caminhos mais promissores para o sujeito, de acordo com o seu caso. Sempre visando mais qualidade de vida, equilíbrio mental e atenuação dos sintomas.

Conclusão

O transtorno esquizoafetivo recebe esse nome por representar a junção de sintomas esquizofrênicos e afetivos, ou seja, de humor. O tratamento especializado é muito importante, a fim de trazer mais equilíbrio mental e qualidade de vida para o indivíduo. Em alguns casos, a internação pode ser necessária.

Referências

Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5 – 5ª Edição. Disponível em: <https://neuroconecta.com.br/wp-content/uploads/2019/01/DSM-5-portugues.-pdf.pdf> Acesso em 07 jul. 2022.

Transtorno esquizoafetivo mistura sintomas de esquizofrenia e bipolaridade. Disponível em:< https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2020/10/30/transtorno-esquizoafetivo-mistura-sintomas-de-esquizofrenia-e-bipolaridade.htm> Acesso em 07 jul. 2022.

Transtorno psicótico decorrente de outra condição médica. Disponível em: <https://www.msdmanuals.com/pt-br/profissional/transtornos-psiqui%C3%A1tricos/esquizofrenia-e-transtornos-relacionados/transtorno-psic%C3%B3tico-decorrente-de-outra-condi%C3%A7%C3%A3o-m%C3%A9dica> Acesso em 07 jul. 2022.

Revisado por Camila Bonatti: Psicóloga (CRP12/17354)

Dúvidas? Para saber mais, entre em contato conosco.
Acesse nosso site: www.interhelpinternacao.com.br 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.