Transtorno Disruptivo da Desregulação do Humor

Transtorno Disruptivo da Desregulação do Humor

Públicado em: 8 de julho de 2022

Última Atualização em: 8 de julho de 2022

Transtorno Disruptivo da Desregulação do Humor pode ser detectado em crianças maiores de 6 anos e os primeiros sintomas devem ser percebidos antes dos 10 anos de idade. Trata-se de uma condição que provoca acessos de raiva extremos, nos quais a criança não consegue controlar o humor irritado e acaba agredindo física ou verbalmente quem está à sua volta. Essa agressão é desproporcional ao real problema, e inconsistente com o nível de desenvolvimento.

Esse tipo de transtorno precisa de tratamento psicológico e psiquiátrico, a fim de garantir o bom desenvolvimento cognitivo e emocional do indivíduo, visando a sua qualidade de vida no médio e longo prazo. Por isso, saber mais sobre o assunto é muito importante.

Confira, neste texto, uma série de informações sobre esse quadro.

O que é o Transtorno Disruptivo da Desregulação do Humor?

O Transtorno Disruptivo da Desregulação do Humor (TDDH) pode ser compreendido como uma irritabilidade crônica grave, que pode ser percebida a partir de explosões de raiva recorrentes. Essas explosões podem aparecer tanto no campo verbal, ou seja, a criança ou o adolescente pode ser verbalmente agressivo, como pode aparecer no campo físico, que é quando o indivíduo parte para violência física e agressões (a pessoas e a “coisas”/propriedades).

Essas explosões de raiva possuem características importantes para que o diagnóstico seja feito: acontecem de forma recorrente e a intensidade da raiva/explosão de raiva é desproporcional ao problema enfrentado.

A nível de ilustração, imagine uma criança agredindo fisicamente algum colega pelo simples fato de o amigo ter derrubado o seu lápis. A agressão demonstra um acesso de raiva intenso e completamente desproporcional ao que aconteceu.

Quais os sintomas de Transtorno Disruptivo da Desregulação do Humor?

Conheça alguns dos principais sintomas desse transtorno:

  • Explosões de raiva que ocorrem, em média, três ou mais vezes por semana.
  • Humor zangado e irritável quase todos os dias, na maior parte do dia.
  • Problemas para lidar com frustrações.
  • A criança tende a culpar os outros pelas circunstâncias e consequências negativas de seu comportamento.
  • O adolescente ou a criança podem apresentar falhas nas habilidades sociais.
  • Dificuldade para regular as próprias emoções.
  • As explosões de raiva são inconsistentes com o nível de desenvolvimento.
  • Esses sintomas se manifestam ao menos em dois ambientes: casa e escola, por exemplo.
  • Os comportamentos não ocorrem exclusivamente durante um episódio de transtorno depressivo maior e não são mais bem explicados por outro transtorno mental.
  • A criança começou a apresentar os sintomas antes dos 10 anos de idade e acima dos 6 anos.

Se você tem percebido os sintomas acima no seu filho ou conhecido, busque ajuda profissional. Cuidado para não promover um diagnóstico sem acompanhamento profissional, ok? Lembre-se de que as informações acima foram extraídas do Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5 – 5ª Edição e têm apenas caráter informativo e não servem como diagnóstico feito por quem não é profissional.

Quais as causas do Transtorno Disruptivo da Desregulação do Humor?

As causas do transtorno ainda não são descritas com muita clareza, embora o DSMV possa trazer informações quanto aos fatores de risco para o desenvolvimento do quadro. Além disso, como estamos tratando de uma questão de saúde mental, devemos ter em mente o quanto multifatores podem impactar no desenvolvimento do sujeito.

Contudo, no que diz respeito aos fatores de risco trazidos pelo DSMV, podemos destacar:

  • Fatores temperamentais: Crianças que possuem a irritabilidade crônica apresentam, normalmente, um histórico psiquiátrico complicado. Elas podem apresentar sintomas de transtornos depressivos, transtorno de déficit de atenção/hiperatividade, entre outros. Esses sintomas costumam aparecer precocemente e podem ter relação com o TDDH.
  • Fatores genéticos e biológicos: Questões genéticas e biológicas também podem estar associadas ao desenvolvimento desse quadro.

De todo modo, é papel do profissional de saúde mental avaliar o caso e verificar os possíveis gatilhos por trás da situação, sempre visando oferecer mais saúde e bem-estar para o paciente.

Qual o tratamento ideal para o Transtorno Disruptivo da Desregulação do Humor?

Assim como acontecem em outros casos de transtornos mentais, o tratamento pode requerer o acompanhamento profissional por meio da psicoterapia e da medicação prescrita pelo médico psiquiatra.

No entanto, vale ressaltar que ainda não existem medicamentos específicos para o TDDH. Isto é, o médico psiquiatra poderá prescrever medicamentos que auxiliem no equilíbrio de diversos sintomas, e não na extinção do problema.

Abaixo damos mais detalhes quanto a isso:

1. Psicoterapia

A psicoterapia pode ser bastante relevante no tratamento do transtorno disruptivo da desregulação do humor. Afinal, por meio dela o indivíduo poderá escutar melhor as suas emoções, compreendendo o que sente, porque sente e como pode lidar com essas situações. O autoconhecimento e a inteligência emocional podem vir a ser trabalhadas, compreendendo os gatilhos do problema e buscando ferramentas que possam ajudar a lidar com os sintomas e as explosões de raiva.

Cada tratamento seguirá as singularidades do paciente, visando entregar a ele opções e caminhos que possam ajudá-lo a lidar com suas questões internas, visando uma sociabilidade mais sadia e um desenvolvimento cognitivo e emocional mais interessante.

2. Medicação prescrita pelo psiquiatra

Em uma clínica psiquiátrica é possível encontrar o atendimento adequado para que medicamentos sejam prescritos. Na consulta com o médico, é possível relatar os sintomas e buscar alternativas que ajudem a lidar com cada um deles.

Como mencionamos, ainda não existem medicamentos feitos especificamente para esse quadro, porém, existem alguns fármacos que podem ajudar a atenuar alguns dos sintomas da TDDH, visando a qualidade de vida do paciente. Se precisar de ajuda para encontrar uma clínica psiquiátrica, entre em contato conosco.

Conclusão

O transtorno disruptivo da desregulação do humor pode ser detectado em crianças a partir de 6 anos e os primeiros sintomas devem surgir antes dos 10 anos de idade. Requer acompanhamento psicoterapêutico e medicamentoso para que o sujeito possa lidar melhor com os sintomas, visando o seu bem-estar e equilíbrio emocional.

Referências

Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5 – 5ª Edição. Disponível em: <https://neuroconecta.com.br/wp-content/uploads/2019/01/DSM-5-portugues.-pdf.pdf> Acesso em 08 jul. 2022.

Intervenções na psicoterapia psicodinâmica de uma criança com transtorno disruptivo da desregulação do humor. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-56652019000200005> Acesso em 08 jul. 2022.

Revisado por Camila Bonatti: Psicóloga (CRP12/17354)

Dúvidas? Para saber mais, entre em contato conosco.
Acesse nosso site: www.interhelpinternacao.com.br 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.