Transtorno Depressivo Persistente: Sintomas, causas e tratamento

transtorno depressivo persistente

Públicado em: 24 de junho de 2022

Última Atualização em: 24 de junho de 2022

Entender o que é o Transtorno Depressivo Persistente pode ajudar na hora de desmistificarmos esse tipo de questão de saúde mental. Além disso, pode ajudar na hora de oferecer o apoio adequado aos indivíduos com esse diagnóstico.

Por isso, fizemos este conteúdo com o intuito de disseminar uma série de informações importantes sobre o tema. Acompanhe e saiba mais!

O que é o Transtorno Depressivo Persistente?

O Transtorno Depressivo Persistente é compreendido como um distúrbio mental crônico e recorrente, que se associa com um humor deprimido e comprometimento da qualidade de vida do indivíduo. Uma pessoa com o TDP pode apresentar sinais de apatia, desesperança, tristeza profunda e falta de interesse por mais de dois anos.

Sendo assim, o TDP também é conhecido como depressão crônica e distimia, embora ambos possam significar o mesmo quadro clínico. Requer atendimento especializado, a fim de promover mais qualidade de vida e saúde para o indivíduo.

Existe diferença entre Distimia e Transtorno Depressivo Persistente?

Na realidade, ambas nomenclaturas designam um mesmo quadro clínico. Tanto no caso da Distimia, quanto do TDP, o indivíduo demonstra sinais de apatia, irritabilidade, cansaço excessivo, falta de interesse em atividades prazerosas, e assim por diante. A pessoa passa a demonstrar um desinteresse nas mais diversas esferas de sua vida.

Quais os sintomas do Transtorno Depressivo Persistente?

Os sintomas podem ser diversos, e a intensidade também varia de caso a caso. No entanto, existem alguns sinais que tendem a ser bastante comuns em casos de Transtorno Depressivo Persistente. Veja quais são esses sinais:

  • Irritabilidade;
  • Apatia;
  • Falta de interesse;
  • Distúrbios de sonos – insônia ou hipersonia;
  • Cansaço excessivo;
  • Falta de foco e concentração;
  • Isolamento social;
  • Indisposição;
  • Desesperança geral;
  • Choro excessivo;
  • Apetite diminuído ou consumo alimentar acima da média;
  • Baixa energia, mesmo depois de descansar por horas;
  • Tristeza constante.

Vale ressaltar que o diagnóstico é feito a partir do momento em que o humor deprimido ocorre na maior parte do dia, bem como por vários dias, de modo frequente, insistente e recorrente. Isto é, um único episódio de tristeza e apatia não se caracteriza o TDP. Por isso, é muito importante analisar os sintomas e conversar com um profissional de saúde para ter mais informações.

Quais as causas do Transtorno Depressivo Persistente?

As causas são multifatoriais, o que significa que diversos aspectos podem estar associados ao Transtorno em questão. Sendo assim, não podemos dizer que há uma única causa que provoque a distimia, mas sim, que uma série de fatores podem impactar na saúde mental do indivíduo, como por exemplo:

  • Questões psicossociais: Os relacionamentos, contexto no qual o indivíduo está inserido e as relações gerais podem servir de gatilho para problemas de ordem de saúde mental. Até mesmo o autoconceito e a autoestima impactam nesse caso.
  • Questões ambientais: Um ambiente negligente, nocivo e perigoso pode desencadear questões de cunho de saúde mental.
  • Questões hereditárias e biológicas: Questões físicas, relacionadas à saúde cerebral e à genética, também podem ser a mola propulsora para o desenvolvimento de um quadro de TDP.

É importante frisarmos que, muitas vezes, essas causas se entrelaçam na vida do sujeito, fazendo com que o problema surja a partir de uma “combinação” de fatores. Sendo assim, é muito importante que o profissional responsável pelo tratamento avalie o caso de forma subjetiva, a fim de oferecer um atendimento alinhado às necessidades do paciente. Afinal, cada pessoa merece uma atenção e um tratamento específico.

Qual o melhor tratamento para Transtorno Depressivo Persistente?

O tratamento para TDP pode se basear em um acompanhamento psicológico, por meio da psicoterapia, e uma intervenção medicamentosa, com a prescrição do médico psiquiatra.

Em alguns casos, a internação também pode ser necessária, tendo em vista que ideações e comportamentos suicidas podem colocar a vida do indivíduo em risco.

No caso da internação, o indivíduo poderá receber um apoio multidisciplinar, que visa elevar a sua qualidade de vida e equilibrar os sintomas da TDP. Afinal, ainda estamos diante de um quadro crônico e que merece um acompanhamento periódico, a fim de elevar o bem-estar do sujeito.

De todo modo, para saber qual o tratamento mais adequado para cada caso, o ideal é procurar por profissionais da saúde responsáveis por esse tratamento. Assim será possível passar por uma avaliação que especifique os melhores tratamentos possíveis.

Uma pessoa com esse transtorno deve ser internada?

Em alguns casos a internação pode ser bastante aconselhável. Quem irá avaliar isso é o médico psiquiatra responsável pelo tratamento do sujeito em questão.

Se porventura o indivíduo estiver apresentando riscos à sua integridade, saúde e vida, a internação pode ser uma forma de protegê-lo. Ao mesmo tempo, a internação pode ser recomendada em casos mais graves, que exigem o acompanhamento multidisciplinar por períodos mais longos.

Onde encontrar ajuda para lidar com o Transtorno Depressivo Persistente?

Em clínicas psiquiátricas você pode encontrar tratamento adequado para lidar com o TDP. Além disso, psicólogos também podem ser solicitados para lidar com esse tipo de questão de saúde mental.

De todo modo, se você precisa de ajuda e não sabe por onde começar a sua busca por tratamento, não hesite em entrar em contato conosco! Estamos à disposição para auxiliar você na hora de encontrar a melhor clínica para TDP.

Conclusão

O Transtorno Depressivo Persistente é um quadro crônico, também chamado de depressão crônica e distimia. Trata-se de uma questão de saúde mental na qual o indivíduo apresenta um humor deprimido, tristeza persistente, desesperança, entre outros sintomas.

Requer tratamento medicamentoso e psicoterápico, a fim de auxiliar o indivíduo no restabelecimento de suas habilidades emocionais e de sua qualidade de vida como um todo.

Você pode encontrar tratamento para o TDP em clínicas psiquiátricas e em clínicas com atendimento psicológico. Inclusive, a equipe da Interhelp Internação está à disposição para auxiliá-lo nesta busca. Conte com a gente!

Referências

Transtornos depressivos. Disponível em: <https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4169741/mod_resource/content/1/ARTIGO%20DEPRESS%C3%83O.pdf> Acesso em 24 jun. 2022

Transtornos depressivos e capitalismo contemporâneo. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/ccrh/a/rkPjhVztHdwQ5Rp4WwcPv7x/?format=html> Acesso em 24 jun. 2022.

Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5 – 5ª Edição. Disponível em: <https://neuroconecta.com.br/wp-content/uploads/2019/01/DSM-5-portugues.-pdf.pdf> Acesso em 24 jun. 2022.

Revisado por Camila Bonatti: Psicóloga (CRP12/17354)

Dúvidas? Para saber mais, entre em contato conosco.
Acesse nosso site: www.interhelpinternacao.com.br 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.