Síndrome do Pânico: Sintomas, causas e tratamento

síndrome do pânico

Públicado em: 1 de julho de 2022

Última Atualização em: 1 de julho de 2022

Síndrome do Pânico, também chamada de Transtorno do Pânico, impacta a qualidade de vida e a saúde mental do indivíduo em suas mais diversas esferas da vida. Por isso, exige um olhar atento de profissionais da saúde que possam dar o apoio ideal para esse tipo de quadro. Saiba mais sobre o assunto acompanhando este conteúdo até o fim.

O que é a Síndrome do Pânico?

A Síndrome do Pânico pode ser descrita como recorrentes ataques de pânico, que podem acontecer devido aos gatilhos emocionais ambientais ou, como dizem alguns estudiosos, sem causas aparentes. Esses ataques provocam ansiedade, agitação, medo da morte, medo de perder o controle, entre outros sintomas. A pessoa pode crer que está passando por um problema grave e, caso não receba um tratamento o mais rápido possível, irá morrer ou perder a sanidade mental.

Além disso, a Síndrome do Pânico provoca sensações intensas e repentinas, que causam um mal-estar geral e podem provocar muito medo no indivíduo.

Vale ressaltar, ainda, que essa síndrome só é caracterizada como tal quando o indivíduo apresenta as crises e os sintomas por um longo período. Isto é, uma pessoa pode vir a ter um ataque/crise de pânico, sem necessariamente ter a síndrome.

Esse quadro costuma acometer mais a parcela de jovens adultos, e a prevalência fica entre os 25 e 44 anos de idade. Além disso, o sexo feminino possui mais propensão a desenvolver esse tipo de quadro, sendo duas vezes mais frequente nesse grupo.

Qual é a diferença entre a síndrome do pânico e o transtorno de pânico?

Até pouco tempo atrás a nomenclatura mais usada era a Síndrome do Pânico. Pensando etimologicamente, uma síndrome diz respeito a um conjunto de sintomas que se manifestam concomitantemente. No entanto, com o passar do tempo, a nomenclatura que foi atribuída a esse quadro, e que pode ser entendida como mais adequada, é a de Transtorno de Pânico (TP).

Assim sendo, em suma, ambas as nomenclaturas dizem respeito ao mesmo caso, embora a TP seja a mais adequada e frequentemente usada na área científica.

Quais os sintomas da síndrome do pânico?

Os sintomas da síndrome dizem respeito aos sinais emitidos pelo corpo e pela mente nos momentos de crise. Essas crises acontecem de um modo relativamente frequente, pois caso elas sejam pontuais e únicas, não se caracteriza a síndrome em si. Dito isso, atente-se aos sintomas que aparecem nas crises no decorrer do tempo:

  • Mal-estar geral;
  • Medo de morrer;
  • Medo de perder a sanidade mental;
  • Sudorese;
  • Sensação de sufocamento;
  • Dor no peito e aperto no peito;
  • Aceleração dos batimentos e da respiração;
  • Formigamento;
  • Tremores;
  • Tontura e náusea;
  • Suor frio;
  • Desmaio;
  • Vômitos.

O que provoca síndrome do pânico?

As causas do Transtorno de Pânico são multifatoriais. Conheça alguns dos motivos pelos quais os indivíduos podem desenvolver esse quadro clínico:

  • Fatores ambientais: como o contexto em que se vive, a dinâmica do lar, a rotina e demais detalhes da vida cotidiana do sujeito, podem impactar a saúde mental do mesmo.
  • Fatores biológicos e genéticos: como questões de saúde, outros transtornos mentais e hereditariedade também podem ter relação com o problema.
  • Experiências traumatizantes: seja na infância ou na vida adulta, essas experiências podem desencadear quadros de transtornos psicológicos, como o TP.

Qual a diferença entre crise de ansiedade e síndrome do pânico?

Uma crise de ansiedade, normalmente, está associada a questões mais concretas e pontuais. Além disso, costuma fazer referência a uma “proteção” do organismo, diante de algo novo, desconhecido e/ou desafiador. É o caso de se sentir muito ansioso ao iniciar um novo emprego ou mudar de cidade, por exemplo.

Já a Síndrome do Pânico tende a apresentar sintomas mais intensos que a crise de ansiedade, além de ser mais frequente e sem estar ancorado em algo concreto. Aqui, a pessoa pode ter medo de morrer, de perder a sanidade mental, de adoecer, etc., mesmo que não haja nenhum motivo plausível pelo qual ela deva temer dessa forma.

Qual o melhor tratamento para síndrome do pânico?

A psicoterapia costuma ser um dos tratamentos mais adequados para casos de Transtorno do Pânico. Por meio dela o indivíduo passará a compreender e identificar melhor os seus sintomas, aprendendo a lidar com eles e com os impactos provocados pelo transtorno.

Em algumas circunstâncias, o psiquiatra também poderá ser procurado, além do psicólogo. Isso porque o médico poderá prescrever medicamentos, especialmente se o indivíduo estiver sentindo que a sua vida estagnou ou crê que está tendo crises incapacitantes. Assim, é possível investir em um tratamento que viabiliza mais qualidade de vida e equilíbrio emocional.

Além disso, embora possa não ser muito comum, se o indivíduo apresentar riscos iminente de morte ou autoflagelação, o mesmo pode vir a ser internado em uma clínica psiquiátrica. Porém, como relatado, não se trata de um caso comum, e a internação será cogitada a partir da avaliação do psiquiatra. Cada caso sempre será um caso.

Dessa forma, resumidamente, o indivíduo poderá:

  • Investir na psicoterapia;
  • Ter o acompanhamento psiquiátrico e medicamentoso;
  • Ser internado ou apenas frequentar uma clínica psiquiátrica. Aqui, é necessário avaliar as especificidades do caso.

Conclusão

A Síndrome do Pânico, também chamada de Transtorno do Pânico, pode ser incapacitante em algumas situações. Buscar ajuda profissional é de suma importância para restabelecer o bem-estar e qualidade de vida do sujeito.

Além disso, como mencionado no decorrer deste artigo, algumas pessoas podem solicitar a internação caso percebam a necessidade. Para isso, o médico psiquiatra irá avaliar o quadro, os sintomas e os comportamentos do indivíduo, visando tomar a melhor decisão possível para cada caso.

Se você precisa de auxílio para encontrar uma clínica psiquiátrica na sua cidade, basta entrar em contato conosco. Estamos à disposição para lhe ajudar nessa jornada importante de cuidados com a saúde.

Referências

Transtorno do pânico. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/transtorno-do-panico/> Acesso em 01 jul. 2022.

A clínica da síndrome do pânico. Disponível em: <http://igt.psc.br/ojs3/index.php/IGTnaRede/article/view/20> Acesso em 01 jul. 2022.

As causas e consequências da Síndrome do Pânico em mulheres. Disponível em: <https://academico.univicosa.com.br/revista/index.php/RevistaSimpac/article/view/186> Acesso em 01 jul. 2022.

Síndrome do Pânico. Disponível em: <https://pdfs.semanticscholar.org/82fd/498dacf45f94c0305aecb61bc60d87a6a8e7.pdf#page=77> Acesso em 01 jul. 2022.

Revisado por Camila Bonatti: Psicóloga (CRP12/17354)

Dúvidas? Para saber mais, entre em contato conosco.
Acesse nosso site: www.interhelpinternacao.com.br 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.