Reabilitação drogas: O que é a reabilitação de drogas?

Reabilitação drogas

Públicado em: 20 de maio de 2022

Última Atualização em: 26 de maio de 2022

O processo de reabilitação drogas visa estabelecer mais qualidade de vida para o indivíduo dependente químico. Por meio dela é possível restabelecer o equilíbrio emocional e de saúde, visando mais longevidade e menos impactos nocivos causados pelo uso de entorpecentes.

Se você ainda tem dúvidas sobre o tema e quer saber mais sobre o processo de reabilitação, então acompanhe este conteúdo até o fim.

O que é a reabilitação de drogas?

Reabilitação de drogas diz respeito ao processo de recuperação pelo qual o dependente químico passa para restabelecer o equilíbrio da sua saúde física e mental na ausência do consumo da droga. Isto é, trata-se do tratamento que visa recuperar o indivíduo dependente, proporcionando o resgate das habilidades sociais e do equilíbrio químico do organismo.

A nível de exemplo, imagine um alcoólatra: a pessoa possui uma dependência química, que deve ser tratada com terapias e medicamentos adequados. Esse tratamento reabilita a pessoa para uma vida dita como “normal”, ou seja, livre do consumo de álcool.

Qual o melhor tratamento para o usuário de drogas?

Reabilitação drogas
Reabilitação drogas

Na realidade, cada caso e cada entorpecente exige um tratamento diferente. Isso porque o médico considerará alguns fatores na hora de selecionar o tratamento mais adequado, como por exemplo:

  • O tempo de consumo: Há quanto tempo a dependência faz parte da vida do sujeito?
  • A frequência do consumo: A dependência provoca o consumo de drogas em qual nível? Diário? A cada hora?
  • A quantidade consumida: Quanto entorpecente vem sendo consumido pelo sujeito?
  • O tipo de entorpecente: A dependência está associada ao álcool, tabaco, cannabis?
  • Questões subjetivas do indivíduo: Há a presença de outras enfermidades? A pessoa quer o tratamento, ou não? A pessoa reconhece a dependência, ou não?
  • Sintomas e impactos na saúde: Quais são os sintomas apresentados pelo indivíduo? E quais são os impactos na saúde do mesmo?

Esses e outros questionamentos devem ser levados em conta a fim de proporcionar a prescrição do tratamento medicamentoso e psicoterapêutico mais adequado para o caso.

Vale ressaltar, ainda, que respondida às questões acima, caminha-se para os três passos do tratamento: desintoxicação, conscientização e ressocialização, que descrevemos no tópico abaixo. Continue lendo.

Como funciona uma reabilitação?

Um processo de reabilitação consiste no caminhar por três passos: desintoxicação, conscientização e ressocialização. Esse tratamento costuma ser feito em uma clínica específica para esse fim, onde o paciente passará um período internado. Abaixo detalhamos o desenvolvimento de cada etapa:

  • Desintoxicação: O primeiro passo é desintoxicar o organismo do indivíduo. Aqui, o profissional médico irá prescrever medicamentos que possam minimizar os efeitos da abstinência e do desejo de consumir a droga. Aos poucos o organismo volta ao seu ritmo natural, desvencilhando-se do consumo do entorpecente.
  • Conscientização: Nesta etapa, o processo de tratamento foca em conscientizar o sujeito sobre a sua condição. Ele entende quais são os principais gatilhos emocionais por trás do consumo, bem como passa a ser capaz de reconhecer as situações nas quais há uma maior chance de recaída. Os efeitos nocivos dos entorpecentes também são apresentados ao indivíduo, para que ele entenda a gravidade da situação.
  • Ressocialização: Por fim, esta etapa visa auxiliar o indivíduo no resgate de suas habilidades sociais. Aqui, a terapia ocupacional pode servir como base para o reencontro do sujeito com a sociedade e o mundo social.

Esses três pontos são ultrapassados à medida que o sujeito se desenvolve dentro do seu tratamento. Vale ressaltar, ainda, que cada pessoa pode ter o seu próprio tempo de recuperação. Por isso, jamais deve haver comparações.

Como é feito o tratamento em uma clínica de reabilitação?

O tratamento segue os passos que apontamos acima. Assim, por meio de uma equipe multidisciplinar com médicos, psicólogos, educadores físicos, terapeutas ocupacionais, oficinas, etc., o sujeito receberá todo o amparo que precisa para atravessar esse momento difícil de sua vida.

Cada profissional atuará em conjunto com os demais, visando:

  • A qualidade de vida do indivíduo.
  • Sua recuperação.
  • Melhora da saúde física e mental.
  • Diminuição de recaídas e crises de abstinência.

Tudo isso ao mesmo tempo em que acompanha as angústias e dúvidas dos pacientes, auxiliando-os no reconhecimento de sintomas, tratamento de desequilíbrios emocionais, etc.

Além disso, a família também recebe apoio e psicoeducação durante esse processo, tendo em vista que ela é uma das bases da recuperação de um dependente químico.

Pode mexer no celular na clínica de reabilitação?

Depende da política da clínica. Cada clínica possui a sua forma de trabalhar nesse sentido. Além disso, cada caso clínico pode requerer uma abordagem diferente. Isso significa que existem clínicas que permitem o uso livre do celular, enquanto outras prescrevem horários específicos para esse uso.

Quanto tempo uma pessoa fica na clínica de recuperação?

Reabilitação drogas
Reabilitação drogas

Novamente reiteramos que cada caso sempre será um caso. Isso porque o tipo de entorpecente, a gravidade da dependência e a quantidade consumida fazem toda a diferença no tratamento.

Assim sendo, é possível que um indivíduo fique 60 dias internado, enquanto outros podem ficar até 180 dias. De todo modo, nenhum tempo ou caso se compara. Cada pessoa e cada organismo possuem o seu próprio tempo de tratamento e recuperação.

Respeitar esse tempo é um ato de amor àquele que precisa de suporte profissional para restabelecer a qualidade de vida.

Conclusão

Quando pensamos em reabilitação drogas, devemos pensar no processo de recuperação que o dependente químico passa. Esse processo tem como suporte o olhar de diversos profissionais da saúde, que são responsáveis por prescrever atividades, medicamentos e terapias alinhadas às necessidades do paciente.

O processo de reabilitação drogas pode variar, na questão de tempo e intensidade, de acordo com o perfil e caso de cada paciente. Estar atento a isso é imprescindível para não tentar acelerar algo que é impossível de ser acelerado.

Se você conhece algum dependente químico ou acredita que está vivendo uma dependência química, entre em contato com a nossa equipe! O time da Interhelp Internação está aqui para ajudar você! Conte conosco.

Referências

Reabilitação psicossocial dos usuários de álcool e outras drogas: a concepção de profissionais de saúde. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/reeusp/a/fTsJNNPMYtdwgFcGSwp6ywp/?lang=pt> Acesso em 20 maio 2022.

Práticas empregadas no tratamento para dependentes de substâncias psicoativas em comunidades terapêuticas brasileiras: uma revisão sistemática da literatura entre 2005-2015. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/download/69370/41599/242170> Acesso em 20 maio 2022.

Revisado por Camila Bonatti: Psicóloga (CRP12/17354)

Dúvidas? Para saber mais, entre em contato conosco.
Acesse nosso site: www.interhelpinternacao.com.br 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.