Mitomania (mentira patológica): o que é, tratamento e muito mais

Mitomania

Públicado em: 15 de janeiro de 2022

Última Atualização em: 15 de janeiro de 2022

A mitomania é um quadro no qual o indivíduo apresenta compulsão por mentir. Muitas vezes, o sujeito nem está plenamente consciente das suas mentiras, e pode, ainda, acreditar que elas realmente são verdadeiras.

Para saber mais sobre o quadro, acompanhe este conteúdo completo e fique por dentro de todos os detalhes!

Conteúdo que será abordado:

  • O que é mitomania?
  • Como funciona o tratamento para mitomania?
  • Como identificar a diferença entre mentira comum e mitomania?
  • Qual o diagnóstico da mitomania?
  • Como identificar um mentiroso patológico compulsivo?
  • Quando pode se transformar em transtornos mais graves?
  • Com quais outros males está relacionada?
  • Quando a pessoa acredita na própria mentira?
  • Quando a mentira se torna uma doença?
  • O que é ser um mitomaníaco?
  • Como lidar com um mentiroso compulsivo
  • Conclusão sobre mitomania
Mitomania (mentira patológica) - foto ilustrativa
Mitomania (mentira patológica) – foto ilustrativa

O que é mitomania?

A mitomania nada mais é do que uma psicopatologia que envolve a tendência de contar histórias incríveis e imaginárias, como se elas realmente tivessem acontecido.

No senso comum, as pessoas associam um sujeito com mitomania com alguém que mente desenfreadamente, e sem nenhum tipo de “filtro”, podemos assim dizer. 

Mas, mais do que isso, essa pessoa mente para disfarçar a sua realidade, e não necessariamente para conquistar vantagens sobre outros. É imprescindível entender essa diferença.

Como funciona o tratamento para mitomania?

O tratamento acontece por meio do acompanhamento psicológico e psiquiátrico. Em ambos os casos, os profissionais da saúde trabalharão em prol do autoconhecimento do indivíduo, a fim de ajudá-lo a compreender os motivos pelos quais ele mente. Assim, torna-se viável estabelecer o início da mudança de hábitos. 

Como identificar a diferença entre mentira comum e mitomania?

Existem algumas diferenças que podem nos dar pistas de que estamos diante de um quadro de mitomania. São elas:

  • O indivíduo não demonstra receio de ser descoberto.
  • Não há expressão de culpa por mentir.
  • O sujeito demonstra muita felicidade ou tristeza extrema ao contar uma história.
  • Muitas vezes, o indivíduo conta histórias muito longas e com detalhes. 
  • A recorrência dessa contação de histórias é frequente.
  • Quando questionado sobre algo pontual em sua história, monta todo um enredo para responder algo relativamente simples.
  • Sempre tem algo grandioso para contar sobre determinado assunto.
  • As mentiras não necessariamente buscam trazer vantagem com relação ao outro, mas sim, podem ser usadas para mascarar uma realidade negativa e difícil.

Qual o diagnóstico da mitomania?

O diagnóstico deve ser feito por um profissional da saúde mental, que pode ser um psicoterapeuta ou um psiquiatra, por meio de uma avaliação prévia. Ou seja, o profissional avalia o discurso do sujeito e analisa a situação com base em dados científicos e sintomas.

Como identificar um mentiroso patológico compulsivo?

  • Observe os gestos e expressões da pessoa, isso pode ajudar a identificar quando alguém está mentindo. Uma dica interessante (mas não “perfeita”) é a de observar o olhar: se a pessoa direciona o olhar para a direita, pode estar procurando memórias reais, se ela direciona para esquerda, pode estar inventando algo. Claro que isso é algo que pode variar de pessoa para pessoa, mas pode ajudar.
  • O tom de voz também pode mudar no momento em que a pessoa começa a mentir.
  • O comportamento também denuncia que a pessoa mudou a sua postura para contar algo imaginário.
  • As mentiras, mesmo quando descobertas, não despertam culpa ou arrependimento no indivíduo.
  • O indivíduo descreve, detalhadamente, fatos relativamente corriqueiros.
  • Versões diferentes, ou com focos diferentes, para a mesma história.
  • Entre outros sinais.

Quando pode se transformar em transtornos mais graves?

Quando não há tratamento, a situação pode se agravar. As relações interpessoais são fragilizadas, desencadeando situações em que o isolamento proporciona o caminho para a personalidade antissocial. 

Além disso, problemas de interação social podem causar impactos na saúde mental de forma geral, proporcionando situações de ansiedade e depressão, por exemplo.

Com quais outros males está relacionada?

A mitomania pode se agravar à medida que o indivíduo não recebe o tratamento adequado para lidar com a situação.

Isso porque é possível:

  • Que o sujeito desenvolva questões emocionais e psicológicas, pois pode começar a acreditar nas próprias mentiras.
  • Ser a porta de entrada para outras compulsões, como alcoolismo, comer em excesso, etc.
  • As relações interpessoais se fragilizarem, devido à falta de confiança e o afastamento das pessoas.
  • Promover o isolamento social daquele indivíduo, uma vez que este vai se afastando das pessoas e, ao mesmo tempo, vai “afundando” nas próprias mentiras.
  • Pode causar problemas legais, uma vez que a mentira no campo jurídico pode desencadear problemas para o indivíduo.

Quando a pessoa acredita na própria mentira?

Em muitos casos, uma pessoa com mitomania também pode evoluir para o quadro no qual ela mesma acredita em suas mentiras. Isso pode desencadear situações de risco e moralmente negativas.

Quando a mentira se torna uma doença?

Quando ela se torna um verdadeiro vício. Ou seja, o sujeito passa a mentir compulsivamente, desde coisas simples, até histórias longas e cheias de detalhes. Além disso, o mentiroso compulsivo não sente culpa ao ser pego diante de uma mentira.

O que é ser um mitomaníaco?

É ser uma pessoa que mente de maneira compulsiva, na tentativa de mascarar a realidade. Essas mentiras acontecem em diversos âmbitos da vida do indivíduo, por muitos motivos, que podem variar de caso em caso.

Como lidar com um mentiroso compulsivo

Se você conhece um mentiroso compulsivo, busque ajudá-lo por meio da conscientização. Não fique apontando o dedo ou declarando algum diagnóstico. Mas sim, traga informações sobre o quadro, incentive a psicoterapia (no sentido geral, e não apenas porque o outro, ao seu ver, tem “um problema”) e acolha essa pessoa.

O mentiroso compulsivo, muitas vezes, nem se dá conta da sua situação. E, por isso, o tratamento deve ser incentivado, assim como deve haver a conscientização perante o quadro.

Conclusão sobre mitomania 

A mitomania consiste em uma questão de psicopatologia. Trata-se de um quadro no qual o indivíduo tem compulsão por mentir, ou seja, mente como se fosse um viciado em mentiras.

Em alguns casos mais graves, o sujeito pode ainda acreditar nas suas próprias mentiras, desencadeando ainda mais problemas para si. Afinal, a confiança das outras pessoas é enfraquecida, o que faz com que todo mundo se afaste e exclua o indivíduo.

Por isso, a conscientização sobre o tema e a busca por ajuda são fundamentais. Ofereça suporte para o seu familiar ou entre em contato para que possamos lhe ajudar da melhor maneira possível!

Cuidar da saúde mental é muito importante – lembre-se disso.

Referências

How Do I Cope with Someone Being a Pathological Liar? Disponível em: <https://www.healthline.com/health/pathological-liar> Acesso em 13 jan. 2022.

What to know about pathological liars. Disponível em: <https://www.medicalnewstoday.com/articles/pathological-liars> Acesso em 13 jan. 2022.

Conteúdo revisado por: Camila da Silva
Psicóloga (CRP12/17354). Acadêmica de Letras/ Português. Psicanalista em Formação.

Acesse nosso site: www.interhelpinternacao.com.br  
FALE CONOSCO: 
0800 500 9945

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.