Drogas sintéticas: O que são, quais os efeitos, consequências e tratamento

drogas sintéticas

Públicado em: 23 de março de 2022

Última Atualização em: 29 de março de 2022

As drogas sintéticas, apesar de serem prejudiciais para o organismo, ainda são consumidas em grande escala, por milhares e milhões de pessoas em todo o mundo.

Entender os riscos e as consequências desse consumo é fundamental para, dessa forma, conseguir expandir a conscientização e evitar a ingestão.

Pensando nesse cenário, fizemos este guia com diversas informações importantes sobre o assunto. Confira e saiba mais!

O que são drogas sintéticas?

drogas sintéticas
Drogas sintéticas.

As drogas sintéticas nada mais são do que substâncias preparadas a partir de meios químicos, ou seja, seus principais componentes ativos não são encontrados na natureza. Essas drogas são desenvolvidas em laboratório, e possuem ingredientes fabricados nesses espaços, sem ingredientes naturais na composição.

Se fôssemos trazer o termo “sintético” para algo mais cotidiano, poderíamos dizer que essas drogas são artificiais, ou seja, não são preparadas com componentes da natureza, mas sim, com componentes artificiais, fabricados pelo homem.

Quais são as drogas sintéticas?

Atualmente, existe uma série de drogas sintéticas que podem ser encontradas no mercado ilícito. São consideradas sintéticos os seguintes entorpecentes:

  • LSD;
  • Ecstasy;
  • Anfetaminas;
  • Poppers;
  • Efedrina
  • Anabolizantes;
  • Ice;
  • Quetamina;
  • Inalantes;
  • Entre outros.

O que são e quais são as drogas semi-sintéticas?

Como o próprio nome nos dá a entender, uma droga semi-sintética é composta tanto por componentes químicos artificiais, quanto por ingredientes naturais. É o caso dos seguintes entorpecentes:

  • Crack;
  • Cocaína;
  • Cristais de rachiche;
  • Heroína;
  • Maconha sintética;
  • Morfina;
  • Codeína;
  • Entre outras.

Como surgiram as drogas sintéticas?

São diversas as origens das drogas sintéticas. Ou seja, cada uma delas possui a sua própria história de origem, que pode ser diferente uma para outra.

Mas, basicamente, elas surgem a partir de experimentos feito em laboratórios. Em alguns casos, esses experimentos têm o intuito de desenvolver um novo medicamento para uma série de doenças. No entanto, com os efeitos colaterais que as drogas proporcionam, acaba por “dar errado” o projeto de medicamento.

E mesmo quando o resultado é positivo, algumas pessoas consomem os remédios puramente pelo “prazer” que ele pode proporcionar, e não pelo objetivo de tratar determinada doença.

Quais são as principais drogas sintéticas consumidas?

Como mencionado anteriormente, hoje existe uma série de drogas sintéticas no mundo. Algumas são mais consumidas, enquanto outras nem tanto. De todo modo, podemos listar as seguintes drogas como as mais consumidas de maneira indiscriminada e com foco na recreação: anfetaminas, LSD, GHB, ecstasy, anabolizantes, ice, quetamina, inalantes, efedrina, poppers.

Quais são os efeitos das drogas sintéticas no organismo?

drogas sintéticas
Drogas sintéticas.

Cada droga tende a trazer efeitos diversos para o organismo. No entanto, tratando-se de entorpecentes sintéticos, a grande maioria tende a gerar alguns resultados semelhantes no organismo do indivíduo, como por exemplo:

  • Cansaço e exaustão;
  • Convulsão;
  • Falta de concentração e foco;
  • Danos cognitivos e de memória;
  • Alteração da pressão arterial;
  • Transtornos mentais;
  • Dependência química;
  • E pode levar à morte.

Sendo assim, embora os efeitos imediatos possam ser de prazer, bem-estar, autoconfiança etc, não necessariamente isso pode ser um fator positivo. Afinal, o efeito “bom” vai passar, e deixará um rastro de destruição no organismo do sujeito. O que, em muitos casos, pode levar o indivíduo a óbito.

Qual a pior droga sintética?

Ainda não existe um consenso quanto à droga sintética mais prejudicial. No entanto, alguns especialistas apontam que o LSD pode ocupar esse lugar. De todo modo, todas as drogas sintéticas, quando não usadas em tratamento medicamentoso e com prescrição médica, são extremamente prejudiciais à saúde.

Como identificar que uma pessoa é usuária de drogas sintéticas?

Uma pessoa que começa a consumir drogas sintéticas pode apresentar algumas mudanças no humor e no comportamento. Ela passa a ter um humor mais oscilante, além de demonstrar uma certa irritabilidade com maior frequência.

No caso de indivíduos que saem para muitos eventos e festas, verifique a forma como a pessoa retorna para casa. Ela apresenta problemas cognitivos? Ela tem sinais de agulha no corpo? Como está a pupila? A cor da língua?

Observar esses detalhes pode lhe ajudar a ter pistas quanto à possibilidade de o indivíduo ter se tornado um usuário de drogas sintéticas.

Além disso, comece a observar a rotina da pessoa. Houve mudanças significativas? A pessoa tem deixado responsabilidades de lado, em prol de festas ou saídas “confidenciais”?

Todos esses detalhes podem ajudar a entender a situação. E cuidado com a investigação no sentido de questionamentos! Não fique questionando a pessoa de forma invasiva, mas sim, procure mostrar que você está preocupado com as mudanças comportamentais e que gostaria de entender o que está acontecendo.

Como ajudar um usuário de drogas sintéticas a procurar ajuda?

O primeiro passo sempre será a conscientização. Apresente, para a pessoa, informações importantes sobre os efeitos que a droga pode desencadear no longo prazo. Mas não faça esse processo “acusando” o usuário, ok? Apenas apresente, à medida que ele for dando atenção ao caso.

Depois do processo de conscientização, demonstre a sua preocupação para com ele. Fale da importância que a pessoa tem em sua vida e do quanto você deseja o bem dela. Tudo isso é fundamental para que você consiga acolhê-la.

Ofereça e incentive os cuidados com a saúde mental, apresentando a possibilidade de procurar um psicólogo e/ou psiquiatra. Mas deixe claro que isso não quer dizer que a pessoa “é louca”, como o senso comum ainda insiste em dizer. Aponte, nesse caso, que os cuidados com a saúde mental é algo que todas as pessoas devem tomar.

Por fim, ofereça a visita a uma clínica de reabilitação. Caso o indivíduo demonstre resistência e repulsa, contate uma clínica para saber como proceder com relação à internação involuntária (quando necessário).

Quais são as opções de tratamentos para usuários de drogas sintéticas?

O tratamento pode acontecer com ou sem internação, dependendo de cada caso. Em uma clínica especializada, o indivíduo receberá o atendimento de uma equipe multidisciplinar, que irá ajudá-lo a atravessar os três passos do processo: desintoxicação, conscientização e ressocialização.

Esses tratamentos incluem acompanhamento psicoterapêutico, farmacológico, nutricional, médico, etc. Tudo para viabilizar uma melhor resposta ao tratamento e as potenciais crises de abstinência.

Conclusão

As drogas sintéticas, tanto lícitas quanto ilícitas, podem causar não somente a dependência química, como também uma série de efeitos negativos na saúde do sujeito. Em alguns casos, pode até levar à morte.

Por isso, investir na conscientização e buscar a ajuda necessária são passos fundamentais para lidar com o problema. Conte com a Interhelp Internação nesse sentido!

Referências

DANTAS, Gabriela Cabral da Silva. “Drogas Sintéticas”; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/drogas/drogas-sinteticas.htm. Acesso em 23 mar. 2022.

Sintéticas X Drogas Naturais Entenda a diferença entre os dois. Disponível em: <https://www.tjmt.jus.br/intranet.arq/cms/grupopaginas/105/988/Sint%C3%A9ticas_X_Drogas_Naturais_Entenda_a_diferen%C3%A7a_entre_os_dois.pdf> Acesso em 23 mar. 2022.

Drogas Sintéticas. Disponível em: <https://www.gov.br/pf/pt-br/acesso-a-informacao/acoes-e-programas/relatorio-de-drogas-sinteticas-2020/relatorio_drogas_sinteticas_2020.pdf> Acesso em 23 mar. 2022.

Revisado por Camila Bonatti: Psicóloga (CRP12/17354)

Dúvidas? Para saber mais, entre em contato conosco.
Acesse nosso site: www.interhelpinternacao.com.br 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.