Depressão psicótica: O que é? Sintomas e tratamento

Depressão psicótica

Públicado em: 21 de junho de 2022

Última Atualização em: 22 de junho de 2022

depressão psicótica é considerada um subtipo de depressão, que caracteriza-se como a presença de sintomas psicóticos em pacientes com diagnóstico de depressão. Ela exige um olhar bastante atento dos profissionais da saúde, uma vez que se trata de um caso grave de saúde mental.

Por isso, neste conteúdo nós reunimos uma série de informações importantes para que você possa saber mais sobre o assunto. Se possível, compartilhe este conteúdo com os seus amigos para conscientizarmos cada vez mais pessoas sobre esse assunto. Confira!

O que é a depressão psicótica?

A depressão psicótica pode ser entendida como a ocorrência de alucinações e/ou delírios durante um episódio de  depressão maior. Isto é, um paciente com depressão psicótica pode apresentar uma desorganização dos seus processos mentais dentro de um episódio de depressão. Assim, apresenta sinais e sintomas relacionados à percepção, às emoções, pensamentos, etc.

Esses sinais podem acarretar uma série de prejuízos para o indivíduo, que poderá sofrer com impactos na sua vida profissional e pessoal. Por isso, a busca pelo apoio profissional é de suma importância.

Causas da depressão psicótica

As causas da depressão são multifatoriais, de uma forma geral. No caso de quadros depressivos com sintomas psicóticos, acontece da mesma forma. Isso quer dizer que questões biológicas, hereditárias e ambientais podem impactar no desenvolvimento do quadro.

Por isso, o médico deve fazer uma avaliação profunda da vida e histórico do paciente, a fim de encontrar o melhor atendimento para cada caso.

depressão psicótica
Depressão psicótica.

Quais os sintomas de depressão psicótica?

Os sintomas de depressão psicótica podem variar de caso a caso. Porém, existem alguns sinais que podem ser bastante comuns para a maior parte dos sujeitos que apresentam um quadro de depressão psicótica. Listamos alguns desses sinais para que você possa avaliar a situação e, a partir disso, buscar a ajuda necessária para lidar com o problema. Acompanhe:

  • Tristeza profunda e sem uma causa aparente: o paciente demonstra estar muito triste, desanimado e desesperançoso. Porém, não consegue nomear uma causa concreta para a sua tristeza.
  • Baixos níveis de energia.
  • Distúrbios do sono: Podendo dormir demais ou de menos.
  • Distúrbios alimentares: Podendo comer a mais ou a menos.
  • Ideação e comportamentos suicidas.
  • Delírios e alucinações.

É importante ressaltar que os delírios e as alucinações são os principais sinais que diferenciam um quadro de depressão psicótica de outro tipo de depressão. Por isso, tanto o profissional responsável, quanto os familiares, deverão ficar atentos a isso.

Tratamento para depressão psicótica

O tratamento para depressão psicótica pode unir uma equipe multidisciplinar de psiquiatras, psicólogos, terapeutas ocupacionais, etc. Assim, o paciente pode receber um amparo medicamentoso, prescrito pelo médico psiquiatra. Além disso, as questões psicológicas poderão ser trabalhadas com a ajuda de um psicólogo.

Em casos nos quais o paciente está apresentando risco para si mesmo e para terceiros, a internação pode vir a ser necessária. Isso porque em uma clínica psiquiátrica o paciente receberá todo o tratamento necessário e alinhado ao seu quadro, ao mesmo tempo em que estará mais protegido de suas próprias atitudes que venham a ser nocivas para a saúde.

Aos poucos, com a junção da psicoterapia e da farmacologia, o indivíduo pode começar a restabelecer as suas habilidades sociais, emocionais e psicológicas. Além disso, pode conquistar um maior equilíbrio dos sintomas psicóticos que possam ter surgido durante o quadro de depressão.

O tratamento não possui um tempo específico de duração. Isso decorre do fato de que cada caso sempre será único, e exigirá um olhar ímpar por parte dos profissionais da saúde que estão oferecendo o apoio necessário.

Como é feito o diagnóstico da depressão psicótica?

O diagnóstico é feito pelo médico psiquiatra que irá avaliar a situação do paciente, visando entender o seu quadro e investigando possíveis sinais e sintomas de depressão psicótica.

Para que o diagnóstico seja realmente feito, o profissional deverá detectar sinais de depressão (como humor deprimido, tristeza profunda, apatia, etc.) e sintomas psicóticos (como delírios e alucinações). Apenas por meio dessa constatação é que se tornará viável fechar um diagnóstico alinhado à realidade do paciente.

Depressão psicótica tem cura?

A depressão, por si só, não possui cura. Porém, isso não significa que o paciente não possa vir a ter qualidade de vida. Pelo contrário! Com o tratamento adequado e o controle dos sintomas, o sujeito pode desenvolver a sua qualidade de vida sem grandes limitações, garantindo o seu bem-estar e usufruindo de uma rotina mais leve.

No entanto, o acompanhamento periódico pode ser necessário em muitos casos, pois os sintomas psicóticos podem retornar em algumas situações, oferecendo crises de recaída e recorrência (CASTRO & NETO, 2004).

Sendo assim, o ideal é buscar ajuda profissional para que a situação seja avaliada mais a fundo, garantindo o tratamento mais alinhado às reais necessidades do paciente. Porém, a cura efetiva não existe – pois a própria depressão não-psicótica é considerada crônica.

depressão psicótica
Depressão psicótica.

Conclusão

A depressão psicótica exige um olhar atento dos profissionais da saúde, pois pode colocar em risco o bem-estar e a vida do paciente. Em muitos casos, a internação pode vir a ser necessária, a fim de garantir a integridade do indivíduo.

O tratamento é singular, variando de caso a caso. Porém, é importante que haja um trabalho multidisciplinar, com o apoio de psiquiatras e psicólogos, a fim de viabilizar mais saúde e qualidade de vida para o paciente. Buscar a ajuda certa é fundamental.

Vale ressaltar, ainda, que pacientes com depressão psicótica demonstram um maior índice de morbidade e mortalidade do que quando comparado com pacientes não-psicóticos (CASTRO & NETO, 2004).

Se você quer saber mais sobre as internações em hospitais psiquiátricos, ou quer buscar o suporte para uma internação, entre em contato com a gente! Estamos à disposição para lhe dar todo o apoio necessário.

Referências

Saúde mental: a importância da aliança entre família e equipe de saúde. Disponível em: <https://cmfc.emnuvens.com.br/sul/article/view/97> Acesso em 21 jun. 2022.

Continuação do antipsicótico em depressão psicótica. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/rpc/a/CkBQVSmgpdgQtvg6JgMdCTJ/?lang=pt> Acesso em 21 jun. 2022.

Revisado por Camila Bonatti: Psicóloga (CRP12/17354)

Dúvidas? Para saber mais, entre em contato conosco.
Acesse nosso site: www.interhelpinternacao.com.br 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.