Como se livrar de um vício psicológico?

Como se livrar de um vício psicológico

Públicado em: 19 de agosto de 2020

Última Atualização em: 19 de agosto de 2020

Para saber como se livrar de um vício psicológico, é importante saber compreendê-lo mais profundamente, além do superficial.

Pois quando uma dependência surge, ela pode estar tanto atrelada à questões psíquicas, quanto físicas e, portanto, é preciso saber avaliar cada caso.

Justamente por estes fatores é que o tratamento interdisciplinar pode ser um caminho interessante e, em casos mais leves, o próprio conhecimento de si entra em pauta. A seguir, daremos mais informações sobre este tema.

O que é um vício psicológico?

Um vício psicológico nada mais é do que um caso de dependência onde o foco não está primordialmente no físico, mas sim, trata-se de uma necessidade psíquica.

Isto é, a busca é mais focada na fuga da realidade, resultando em efeitos psicológicos de bem estar, esquecimento do problema, dentre outros fatores.

Sendo assim, caracteriza-se pela relação que existe entre a pessoa com o objeto do seu vício, onde, se ela se abster do seu consumo ou prática, ela passará a sentir um mal-estar que, em seu ver, a “obriga” a recorrer ao vício, ao alívio.

Afinal, estamos diante de um vício psicológico responsável por ocasionar:

  • Sensação de prazer;
  • Relaxamento intenso;
  • Euforia;
  • Alegria;
  • Sensação de poder;
  • Felicidade plena;
  • Dentre outros fatores.

Por conta disso, a ausência do vício pode, diretamente, resultar no efeito contrário. Exemplo: ao consumir a substância, o sujeito sente uma felicidade plena e, em sua ausência, uma infelicidade perturbadora.

E assim, estes fatores tornam o vício de caráter psíquico, e não necessariamente físico.

Sinais e sintomas de um vício psicológico

Para entender como se livrar de um vício psicológico, é preciso compreender quais são os seus sinais e sintomas. Isso porque será mais possível identificar uma crise, e o aumento da dependência com o decorrer dos dias.

  • Ansiedade;
  • Dificuldade de concentração;
  • Desejo constante pelo objeto do vício, até mesmo em situações inapropriadas (por exemplo, querer beber no expediente);
  • Troca de prioridades, onde a saciação do vício está acima de qualquer outra responsabilidade, ou acima de uma responsabilidade importante, aumentando esse consumo pouco a pouco;
  • Distúrbios alimentares e do sono;
  • Irritabilidade;
  • Agressividade contra si e contra terceiros;
  • Mau humor; e
  • Impaciência.

Apenas um adendo: Os sintomas e sinais relatados acima devem estar, em sua maioria, intimamente relacionados com o objeto do vício.

Por exemplo, a ansiedade pode surgir por desejo de consumir ou praticar tal ato, e quando o mesmo não é suprido, crises de ansiedade podem aparecer.

Entretanto, pode haver comorbidades envolvidas, como o distúrbio do sono, por conta de desequilíbrios psíquicos e físicos.

Como se livrar de um vício psicológico? Tratamento

Para saber como se livrar de um vício psicológico, é importante entender que a relação entre a dependência química (se for o caso) e psíquica podem se somar, tornando o caso um pouco mais conflituoso.

Por conta disso, o atendimento interdisciplinar se faz necessário, para que alguns fragmentos sejam postos em prática:

  • A psicoterapia, como aliada para escutar as angústias envolvidas com a falta do objeto do vício;
  • Intervenção medicamentosa, especialmente em casos de dependência química;
  • Terapia ocupacional;
  • Desenvolver habilidades sociais, a fim de que o sujeito não encare apenas o consumo do objeto do vício como caminho para socializar-se;
  • Trabalhar a tolerância à frustrações e outros sentimentos tidos como “ruins” pelo indivíduo, sendo que os mesmos podem servir de gatilho para o vício.

Quanto aos casos mais leves, pequenas mudanças na rotina já poderão desencadear efeitos positivos na luta contra o vício. Por exemplo:

  • Prática regular de exercícios físicos;
  • Alimentação saudável;
  • Encontrar um hobby que sirva como um relaxamento;
  • Meditar;
  • Conversar com alguém de confiança quando sentimentos, como de frustração, surgirem;
  • Criar uma rotina saudável, sem se sobrecarregar no trabalho, nos relacionamentos ou nos estudos;
  • Não tratar como prioridade o objeto do vício, elencando o que pode ser mais importante e deve ser feito primeiro;
  • Saber buscar ajuda se sentir que, sozinho, ainda não encontra os subsídios suficientes para lidar com o vício.

Buscar tratamento psicoterapêutico não é fraqueza, tampouco loucura. Mas sim, é um ato de coragem para lidar com forças que lutam contra si mesmo.

E assim, pode-se reforçar outros pontos da vida, impedindo que o vício seja a única fonte de alegria, prazer e bem estar.

Em casos mais graves, a internação em clínicas de reabilitação pode se fazer necessária. Neste caso, é primordial conhecer uma instituição séria e que atenda a demanda do paciente.

Para isso, você pode contar com a Interhelp Internação, para assim encontrar o melhor estabelecimento para a recuperação do seu caso.

+Leia também: Quanto custo internar em uma clínica psiquiátrica

+Leia também: Como internar uma pessoa com problemas psiquiátricos

Links úteis:
Conselho Federal de Psicologia
Ligue 188 – CVV | Centro de Valorização da Vida

Acesse nosso site: www.interhelpinternacao.com.br 
FALE CONOSCO: 0800 500 9945

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *