Como ajudar um filho com depressão

Como ajudar um filho com depressão

Públicado em: 6 de setembro de 2020

Última Atualização em: 9 de setembro de 2020

Saber como ajudar um filho com depressão requer paciência e dedicação. Afinal, estamos tratando de uma doença psiquiátrica séria, que requer uma atenção especial, com o intuito de elevar a qualidade de vida do sujeito em questão. Você pode verificar uma lista de enfermidades psiquiátricas. 

E isso vale para todas as idades. A depressão pode acometer crianças, jovens, adultos, adolescentes, idosos, enfim. Ela pode aparecer em diversos casos e contextos, sem ter uma única causa aparente.

Por conta desses fatores, os cuidados podem ser um pouco “confusos” para quem não entende tanto do assunto. E por isso trouxemos informações importantes que poderão lhe ajudar no dia a dia com um filho depressivo. Acompanhe.

O que é depressão?

Em linhas gerais, a depressão é uma doença mental e, como tal, necessita de tratamento específico com especialistas qualificados.

Apesar de ser amplamente conhecida pelo senso comum, a depressão ainda vem sendo relacionada erroneamente com episódios de desânimo e tristeza.

Isso porque a tristeza e a apatia profunda é uma das características e sintomas da depressão. Entretanto, ela se difere do que conhecemos como “tristezas comuns”, podemos assim dizer.

Em suma, a depressão pode ser vista como uma doença mental associada com apatia excessiva; fadiga; cansaço físico e mental; falta de perspectiva e tristeza excessiva, sem uma causa inicial.

Mais informações sobre depressão: https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/depressao/

Como ajudar um filho com depressão

Entender como ajudar um filho com depressão está associado a alguns pontos igualmente importantes, que são:

  • Não medicar sem prescrição médica, pois, apesar de existirem os ditos “calmantes naturais”, a automedicação pode agravar o problema, mascarando a causa real. Além disso, pode ocasionar efeitos colaterais intensos.
  • Dê relevância às queixas: Muitas pessoas, como vemos no senso comum, podem erroneamente associar a depressão com “preguiça” ou outra característica relacionada com “frescura” ou algo neste sentido. Porém, o que muita gente não sabe é que menosprezar os sintomas é fazer com que a pessoa sinta-se ainda mais incapaz. Afinal, ela pode associar que, já que é algo tão simples, uma “frescura”, ela tem que ser muito “fraca” para não conseguir superar nem isso. Portanto, cuidado com as palavras!
  • Não procure por culpados: Tentar encontrar um único motivo ou “culpado” para o quadro de depressão pode ser um caminho arriscado demais. Isso porque, em meio aos sentimentos à flor da pele, é possível que a culpa surja de maneira errônea, ocasionando desconfortos na família e uma piora no quadro.
  • Escute, e não force: Escute a queixa do seu filho. E nunca o force a praticar atividades que ele não esteja disposto, pois isso poderá tornar a situação mais desgastante e difícil.
  • Não compare: Se você quer realmente entender como ajudar um filho em depressão, lembre-se de nunca compará-lo com outros casos. Frases do tipo “Tal pessoa se curou em tanto tempo” não vão ajudar. Mas sim, podem fazer novamente com que a pessoa se sinta “culpada” e “fraca”. É preciso ter em mente que cada caso sempre será um caso.

+Leia também: Como internar uma pessoa com problemas psiquiátricos

Procure auxílio profissional

Dentre todas as formas de ajudar um filho com depressão, a busca por um profissional especialista é a mais interessante.

Entretanto, se você ainda tem dúvidas quanto ao melhor profissional ou clínica de tratamento, não se preocupe! A Interhelp Internação está aqui para lhe auxiliar nessa sua busca.

Conte com a gente e encontre a melhor clínica para o seu caso.

Links úteis:
Conselho Federal de Psicologia
Ligue 188 – CVV | Centro de Valorização da Vida

Acesse nosso site: www.interhelpinternacao.com.br 
FALE CONOSCO: 0800 500 9945

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.