Autoflagelação: Sintomas, causas e tratamento

autoflagelação

Públicado em: 1 de julho de 2022

Última Atualização em: 1 de julho de 2022

autoflagelação merece uma atenção especial pois pode provocar uma série de efeitos nocivos à saúde e à vida do indivíduo. Majoritariamente, costuma ser percebida na adolescência, e requer intervenção precoce para evitar a evolução do problema.

Pensando nesse emergente assunto, fizemos este conteúdo com uma série de informações importantes sobre o tema. Acompanhe.

O que significa a palavra autoflagelação?

A autoflagelação pode ser entendida como o ato de causar um castigo físico contra si mesmo. Isso porque a própria palavra flagelo significa “punição física, castigo, tortura”. Logo, um indivíduo, diante de um sentimento de culpa ou insatisfação psíquica, pune a si mesmo como forma de compensar seus erros ou suas dores emocionais.

Trata-se de um caso que merece atenção, uma vez que alguns comportamentos de autoflagelação podem colocar a vida do indivíduo em risco. Isto é, algumas punições podem chegar a ser tão severas que o indivíduo pode vir a cometer suicídio ou provocar o aparecimento de infecções e doenças graves.

O que leva uma pessoa se auto flagelar? Quais as causas?

As causas podem ser bastante subjetivas, e variam de pessoa para pessoa. Conhece algumas delas:

1. Bullying

Especialmente no caso de adolescentes, a rejeição e o bullying podem ser a porta de entrada para o comportamento de autoflagelo. É como se o indivíduo tentasse compensar a sua dor psíquica.

2. Problemas em relacionamentos

Problemas interpessoais, seja com os pais, com irmãos ou mesmo com amigos e parceiros amorosos, também podem desencadear esse tipo de comportamento. Tudo depende da forma como o indivíduo irá reagir às próprias emoções.

3. Distúrbios e transtornos de humor

Distúrbios e transtornos de humor podem desencadear o comportamento de autoflagelação. É o caso de indivíduos com depressão que encontram na dor física uma compensação para todo o sofrimento psíquico.

4. Sentimento excessivo de culpa

Se uma pessoa costuma sentir culpa excessivamente, ela pode acabar se punindo fisicamente como forma de “pagar” pelo erro que cometeu. Porém, em casos mais graves esse tipo de punição não acontece de forma pontual, mas sim, torna-se um verdadeiro hábito e a pessoa se auto flagela com frequência.

5. Contexto social

O contexto no qual o indivíduo está inserido também pode provocar o comportamento de autoflagelação. No caso dos adolescentes, ver colegas cometendo esse tipo de ato contra o próprio corpo pode servir de estopim para o problema. Afinal, nesta fase a formação mental do indivíduo ainda não se finalizou, o que o torna mais suscetível às influências dos colegas.

6. Baixa autoestima

A baixa autoestima também pode estar relacionada com o problema. O indivíduo pode se sentir fraco, incapaz ou “ruim demais”, a ponto de merecer uma punição física por isso.

Quais os sinais de autoflagelo?

Os sinais podem ser sutis em algumas circunstâncias. Por isso, é muito importante ficar atento a fatores como:

  • Mudanças de comportamento: O sujeito muda o seu comportamento de forma abrupta, tornando-se uma pessoa diferente do que já foi.
  • Isolamento social: Uma pessoa que se auto flagela pode acabar se afastando dos amigos e familiares.
  • Roupas compridas mesmo em dias quentes: Por conta dos cortes e machucados, a pessoa pode usar roupas compridas para tentar disfarçar o comportamento que vem tendo.
  • Problemas emocionais: Choro excessivo, irritabilidade fácil e outras questões emocionais também podem aparecer.
  • Abuso de substâncias químicas: Um indivíduo que comete autoflagelação pode apresentar comportamentos de consumo exagerado de substâncias químicas.
  • Perda do interesse por atividades diversas: O indivíduo pode perder o interesse de praticar atividades que, até algum tempo atrás, praticava e gostava.
  • Objetos cortantes encontrados pelo quarto: No caso dos adolescentes, é possível detectar o problema encontrando navalhas, facas ou tesouras em locais inapropriados, como na cama, debaixo do travesseiro, dentro da bolsa, etc.
  • Problemas interpessoais: A pessoa pode começar a ter dificuldade para lidar com os outros, sofrendo impactos nos seus mais diversos relacionamentos.

Qual o tratamento para casos de autoflagelação?

O tratamento consiste no acompanhamento psicoterapêutico, com um psicólogo, e psiquiátrico, com um psiquiatra. Isso porque a junção dos dois tratamentos poderá auxiliar o indivíduo na hora de atravessar essa difícil fase de sua vida.

Afinal, por meio da psicoterapia ele poderá compreender melhor as suas emoções, dores, medos e anseios. Além de praticar o autoconhecimento e começar a manejar melhor o que vem sentindo – inclusive os sentimentos de culpa.

Já através do tratamento psiquiátrico, o indivíduo pode vir a ser medicado, caso necessário, a fim de estabilizar os sintomas e gatilhos do comportamento de auto flagelo, para que assim possa usufruir de mais qualidade de vida.

Em casos extremos, nos quais a autoflagelação é extremamente perigosa e grave, a internação pode ser necessária. Afinal, o indivíduo pode estar colocando a sua vida em risco, e até mesmo sem nem se dar conta disso.

Quais os riscos do autoflagelo?

Existem alguns riscos importantes por trás desse tipo de comportamento, como por exemplo:

  • Baixa autoestima que pode desencadear outros transtornos mentais;
  • Dificuldades para estabelecer relacionamentos saudáveis;
  • Infecções graves podem ser desenvolvidas por conta dos cortes e ferimentos;
  • O indivíduo pode evoluir à óbito caso os ferimentos e a autoflagelação passe dos limites suportáveis para o organismo;
  • Ideações suicidas também podem vir a existir;
  • Entre outros.

Por isso, a autoflagelação merece uma atenção precoce. Afinal, à medida que o comportamento vai se instaurando na vida do sujeito, ele pode ir avançando limites cada vez mais perigosos, até correr o risco de perder a vida por conta das auto punições.

Conclusão

Uma pessoa que comete autoflagelação deve ser acompanhada por profissionais da saúde o quanto antes. Isso porque o ato de punir a si mesmo, fisicamente, pode evoluir para punições cada vez mais severas, que inclusive colocam a vida do sujeito em risco.

Se você conhece alguém que esteja passando por isso ou precisa de ajudar para lidar com esse comportamento, entre em contato conosco. A Interhelp Internação está aqui para lhe auxiliar.

Referências

Autoflagelação – Como agir? Disponível em: <https://dradeborahkerches.com.br/autoflagelacao-como-agir/> Acesso em 01 jul. 2022.

Psicoterapeuta fala sobre as motivações por trás do autoflagelo. Disponível em: <https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/vidaurbana/2015/03/psicoterapeuta-fala-sobre-as-motivacoes-por-tras-do-autoflagelo.html> Acesso em 01 jul. 2022.

Revisado por Camila Bonatti: Psicóloga (CRP12/17354)

Dúvidas? Para saber mais, entre em contato conosco.
Acesse nosso site: www.interhelpinternacao.com.br 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.