Alucinação: O que é, Quais as Causas, Sintomas e Tratamentos

Alucinação

Públicado em: 24 de março de 2022

Última Atualização em: 29 de março de 2022

alucinação pode acometer pessoas de diversas idades. Ela surge em decorrência de doenças mentais e cerebrais, além de se associar ao consumo de drogas psicoativas.

O tratamento é fundamental para elevar a qualidade de vida do sujeito. Para saber mais, acompanhe este conteúdo até o fim!

O que é alucinação?

Uma alucinação nada mais é do que a percepção de algo que não existe no campo da realidade. Ou seja, o indivíduo pode ver, sentir, provar com o paladar, escutar ou cheirar algo que não existe. Essa percepção costuma ser bastante real na mente de quem vive a alucinação.

O que causa alucinação?

alucinação
Alucinação.

As causas da alucinação são bastante diversas. É possível que alguns indivíduos manifestem a alucinação a partir de:

  • Transtornos mentais;
  • Doenças graves;
  • AIDS;
  • Tumores no cérebro;
  • Epilepsia;
  • Alucinações por ingestão de drogas.

Por isso, é imprescindível que o médico avalie a causa do aparecimento das alucinações, a fim de prescrever o melhor tratamento, de acordo com a história de cada indivíduo.

Quais são as doenças que causam alucinações?

Diversos tipos de enfermidades podem causar as alucinações nas pessoas. Veja algumas delas:

  • Doenças neurodegenerativas;
  • Epilepsia;
  • Narcolepsia;
  • Doenças graves em um ou mais sentidos;
  • Tumores cerebrais que atingem a área responsável pela percepção ou raciocínio;
  • Deficiência renal;
  • AIDS;
  • Febre alta em decorrência de diversas doenças;
  • Entre outros casos.

Quais os sintomas de alucinações?

Os sintomas de alucinação podem variar de acordo com o tipo de percepção que a pessoa está tendo de forma alterada.

Por exemplo, se a alucinação for visual, o indivíduo pode enxergar algo que não existe, como um animal, uma luz, um flash, um vulto, entre tantas outras infinitas possibilidades.

Já no caso de alucinação cinestésica, o indivíduo pode sentir algo andando no seu corpo, um toque, uma ardência, coceira inexistente, entre tantas outras sensações.

Sendo assim, é importante ficar atento à percepção com relação ao ambiente: o que está sendo sentido, visto ou vivido é real? Até que ponto algo que eu estou vendo, ouvindo, sentindo ou experimentando está realmente acontecendo?

O que fazer quando a pessoa está com alucinações?

Primeiramente, procure acolhê-la. Não fique dizendo, a todo momento, que ela está tendo uma alucinação, pois isso pode assustá-la e até mesmo irritá-la.

Pelo contrário, diga que está ao lado dela, pronto para ajudá-la e acolhê-la. Tente tranquilizá-la com palavras de apoio e, assim que possível, retire a pessoa do ambiente em que a alucinação está acontecendo.

Leve-a para um cômodo mais calmo, e ajude-a a controlar a respiração, para que consiga se acalmar na medida do possível. Verifique se o ambiente é bem ventilado, silencioso e se a temperatura é agradável.

Se a pessoa estiver com alucinações táteis, cogite oferecer um banho relaxante, troque a roupa do indivíduo (com sua autorização), e assim por diante. Essas medidas podem fazer com que a pessoa perceba que algo está sendo feito para “barrar” o que está incomodando.

Se nada disso ajudar na hora de acalmar o indivíduo, a busca por um hospital psiquiátrico pode ser necessária. Cuidado apenas para não “forçar a barra”. Diga que irá levar a pessoa até o médico, para que ele ajude a minimizar o mal-estar. Mas, novamente, não fique repetindo que é uma alucinação, pois isso pode deixar a pessoa ainda mais confusa e desorientada.

Qual a diferença entre delírios e alucinações?

As alucinações são vistas no campo das percepções sentidas pelos cinco sentidos. Ou seja, a pessoa realmente vê, ouve, sente, experimenta ou cheira algo.

Já os delírios são relacionados às crenças que a pessoa tem, que são irreais. É o caso de indivíduos que acreditam que têm superpoderes, ou que são uma pessoa famosa, por exemplo.

Alucinação
Alucinação.

Quais são os tipos de alucinações?

Cada sentido humano é responsável por captar informações do ambiente e levar para o cérebro. Quando quaisquer desses sentidos passam a captar informações “falsas”, estamos diante de uma alucinação. Assim, podemos listar os seguintes tipos:

  • Alucinação visual: Ocorre quando a pessoa enxerga algo irreal, que pode ser uma luz, um vulto, um indivíduo que já morreu, entre tantas outras alternativas.
  • Auditiva e musical: Aqui a pessoa escuta algo irreal, que pode ser uma música, voz, ruídos diversos, etc.
  • Táteis: Sensação de pequenos insetos caminhando sobre a pele, coceira, ardência, pontada, etc.
  • Cinestésica: Sensação incomum em diversas partes do corpo, como a de que o cérebro está encolhendo, o estômago se despedaçando, etc.
  • Gustativas: A pessoa sente gostos de coisas irreais.
  • Olfativas: O indivíduo pode sentir cheiros de coisas que não estão presentes no ambiente.

O que é alucinação cinestésica?

Como dito logo acima, a alucinação cinestésica relaciona-se com sensações irreais mais voltadas à algo interno, ou seja, que não tem a ver com o tátil.

É o caso de sentir o coração se partindo, o estômago se desmanchando, o cérebro crescendo, etc.

Como são as alucinações auditivas?

A pessoa pode ouvir vozes, ruídos, músicas e diversos outros tipos de estímulos auditivos irreais.

Inclusive, em alguns casos a pessoa pode ter alucinação de acordo com gatilhos específicos. É o caso de pessoas que abrem a torneira e ouvem vozes, por exemplo.

Quais os tipos de alucinações visuais?

Existem diversos tipos de alucinações visuais. Algumas pessoas podem ter algumas mais intensas, ou mais brandas.

Há quem veja gente morta, vultos, fantasmas, etc. Também há indivíduos que vêem animais, insetos, infestações, etc. E, ainda, pessoas que podem ver apenas feixes de luz, manchas, cores intensas em objetos foscos, e assim por diante.

Qual o tratamento para alucinação?

O tratamento pode vir a ser medicamentoso, através da prescrição feita por um médico psiquiatra. Em alguns casos, a internação em uma clínica psiquiátrica pode ser necessária, tendo em vista que o indivíduo pode colocar a sua vida e a de terceiros em risco em algumas situações de alucinação.

Além disso, a psicoterapia também é muito importante, a fim de auxiliar o sujeito a reorganizar os seus pensamentos, emoções e pontos de vista sobre a vida.

Se você procura por uma clínica adequada para o seu caso, entre em contato com a Interhelp Internação! Podemos ajudar você nesta missão.

Conclusão

A alucinação pode atrapalhar a vida de qualquer pessoa. Por isso, buscar ajuda profissional é de suma importância. Não hesite na hora de contatar um médico quando crises de alucinação surgirem em você ou em um familiar. Afinal, o tratamento é uma prova de amor à vida.

Referências

Alucinações. Disponível em: < http://petdocs.ufc.br/index_artigo_id_247_desc_Psiquiatria_pagina__subtopico_51_busca_> Acesso em 24 mar. 2022.

Alucinações: o que são? Quais os tipos? Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/psicologia-e-psiquiatria/355369/alucinacoes+o+que+sao+quais+os+tipos.htm> Acesso em 24 mar. 2022.

Revisado por Camila Bonatti: Psicóloga (CRP12/17354)

Dúvidas? Para saber mais, entre em contato conosco.
Acesse nosso site: www.interhelpinternacao.com.br 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.